Início Notícias Vestuário

Click it cria novo conceito de camisa

Chegou em maio ao mercado uma nova marca com camisas sem género, personalizáveis e totalmente produzidas em Portugal. A Click it não acredita que uma peça de vestuário deva definir ou restringir a identidade de género de uma pessoa e, depois das camisas, prevê lançar um vestido seguindo a mesma lógica de moda para todos.

[©Click It]

A ideia da Click it surgiu em maio de 2021, num autocarro, enquanto «passeava por Lisboa e me deparei com uma rapariga com uma camisa branca com a gola leopardo. Achei interessante e diferente, mas sem mais opções de utilização. E daí, quase como num flash, surgiu a ideia “e se pudesse mudar a gola conforme a ocasião?”», conta Inês Duarte.

Depois de um ano de estudos, protótipos e construção da marca, a fundadora lançou, em maio último, a marca de camisas sem género, personalizáveis e totalmente produzidas em Portugal. «O objetivo da Click it é, primeiro que tudo, sermos disruptivos na questão da normativa de género, no binarismo. Não acreditamos que uma peça de roupa deva definir ou restringir a identidade de género da pessoa que a utiliza e, dessa forma, criámos uma camisa branca, oversize, em que cada pessoa encontra a sua personalidade na opção de mudança da gola e bolso, conforme a ocasião», explica ao Portugal Têxtil.

[©Click It]
A possibilidade de personalização da camisa é feita através da mudança da gola e do bolso com um simples gesto: o pressionar de uma mola de pressão. Para tal, existem três formatos de golas: Agnes, clássica e de corte reto; a Ester, romântica e de corte redondo; e a Beatrice, irreverente e de corte bicudo. As três fazem conjunto com o bolso Eliot. «Com uma só camisa, os looks poderão ser tão infinitos quanto as combinações de cores, formatos e padrões que as coleções oferecerem», destaca Inês Duarte.

As matérias-primas usadas nas camisas Click it são variadas, «desde o poliéster da camisa Aurora, que lhe confere um toque suave e delicado, que se molda ao corpo quando necessário, ao algodão, elastano ou viscose que compõe as quatro opções de tecido das golas desta coleção», aponta.

[©Click It]
A marca é unicamente comercializada online, através do próprio website, de modo a evitar o desperdício de material. «Não temos stock de produto, é tudo feito por encomenda, desta forma não faria sentido ter uma loja física», afirma a fundadora.

Prestes a completar três meses, a Click it ainda está a dar-se a «conhecer ao mundo», reconhece Inês Duarte. «Quero acreditar que com esta exposição chegaremos a mais pessoas que procuram o mesmo que nós: sentir-se bem, sem ter de pensar esta roupa será para mim?», admite.

Depois da primeira coleção, batizada Take a Drink, nome escolhido devido à paleta de cores inspirada em cocktails como mojito para o verde, margarita para o amarelo, blue curaçao para o azul e «um padrão vibrante, com a mistura destas cores, chamado sex on the beach», a marca tem a ambição de lançar um vestido sem género. «Queremos que as coleções sejam únicas e, quase, exclusivas», garante Inês Duarte.