Início Notícias Vestuário

CMP lança casacos anti-Covid

A produtora de vestuário colocou no mercado os primeiros casacos com tecnologia antivírica. Os modelos para homem e senhora da Confecções Manuela & Pereira estão à venda na plataforma online Springkode e incorporam a tecnologia Ad-Protect desenvolvida pela Adalberto.

Manuela Pereira

A empresa de confeção, que no início de setembro inaugurou novas valências para produzir máscaras e outros equipamentos de proteção individual, lançou dois casacos com tecnologia anti-Covid. Ainda sem divulgar o tipo de produto, Manuela Pereira, sócia-gerente da empresa, tinha já desvendado ao Portugal Têxtil a intenção de criar novos produtos que contribuíssem para a luta contra o novo coronavírus, além das máscaras sociais e batas.

«É um produto inovador que pode vir a ajudar a não ter um contacto tão direto com o Covid-19», desvendou na altura, adiantando apenas que seria fruto de uma parceria com uma empresa fornecedora de tecidos.

Hugo Miranda

Sabe-se agora que essa empresa é a Adalberto, que desenvolveu e está a aplicar a tecnologia Ad-Protect M. Rep nos tecidos – a mesma que usa nas máscaras e que, como explicou o diretor de inovação da empresa de Rebordões, Hugo Miranda, consiste num «antimicrobiano que atrai os vírus e bactérias e, por ação mecânica, perfura as membranas. Com essa rotura, os vírus ficam inativos e as bactérias morrem, isto sem libertação de nenhum composto químico – a nossa tecnologia fica na fibra e é biodegradável».

O clique da compra

A somar à proteção antibacteriana e antivírica, os casacos – que estão à venda na Springkode numa versão tipo parka com capuz para homem e com estilo de gabardina clássica com botões para senhora – têm ainda um tratamento repelente à água, que «impede a fixação de gotículas contaminadas no tecido, dificultando ainda mais que a possível contaminação se propague», indica, em comunicado, a plataforma de comércio eletrónico.

«Pensamos que o desenvolvimento deste tipo de artigos é extremamente importante dado o momento em que vivemos, onde cada vez mais se torna perigoso sair de casa», afirma Manuela Pereira. «A nossa intenção é, de facto, fazer com que os nossos clientes se sintam mais confortáveis na rua ou em espaços comerciais com produtos testados e certificados que garantam a sua segurança», destaca.

Na aquisição dos casacos, fabricados com uma sarja 100% algodão, está ainda a ser ainda oferecida uma luva com o mesmo tecido e acabamento, «para que o utilizador possa tocar em qualquer superfície com a devida proteção».

Reinaldo Moreira

«Para nós é muito importante lançarmos produtos inovadores, conscientes e que façam sentido no contexto atual. Temos a sorte de trabalhar com várias fábricas, como é o caso da CMP, que não baixam os braços e procuram sempre apresentar produtos exclusivos e originais», salienta Reinaldo Moreira, responsável pela Springkode.

A plataforma de comércio eletrónico tem vindo a reforçar a sua oferta de produtos de proteção, nomeadamente máscaras sociais, tendo «a gama mais alargada de máscaras certificadas em Portugal», garante. «Optar por máscaras de tecido é, sem dúvida, a melhor opção para o ambiente e a melhor forma de ajudar a indústria têxtil portuguesa a ultrapassar os difíceis tempos que se avizinham», sublinha a Springkode, acrescentando que «em conjunto com as máscaras, que passaram a ser obrigatórias, este casaco vem complementar e aumentar o nível de proteção que muitos procuram».