Início Notícias Retalho

Com a La Redoute nada se perde, tudo se recicla

Para assinalar o Dia Mundial dos Oceanos, a La Redoute lançou uma coleção-cápsula nos segmentos moda e casa produzida unicamente a partir de materiais reciclados. A marca procura, assim, reforçar o seu compromisso com a sustentabilidade ambiental.

[©La Redoute]

Consciente dos mais de 10 milhões de toneladas de plásticos encontrados nos oceanos todos os anos, a La Redoute decidiu dar uma nova vida aos materiais recuperados e criou uma coleção-cápsula destinada à praia, para este verão.

Sob o lema “Nada se perde, tudo se recicla”, as equipas de designers dos segmentos moda e casa da retalhista online criaram peças fabricadas a partir de materiais ambientalmente sustentáveis, «a pensar no futuro do planeta, na limpeza do oceano e na preservação das espécies que neste habitam», lê-se em comunicado.

Cada uma das peças foi beber inspiração no mar e no calor do verão, com «um toque minimalista e intemporal». Os vários artigos são fabricados a partir do Econyl, fibra regenerada que provém de desperdícios de poliamida como fios de pesca, tecidos, carpetes ou plásticos industriais, ou do Seaqual, material proveniente da transformação e reciclagem de lixos recolhidos nos oceanos, rios e estuários.

[©La Redoute]
Esta coleção-cápsula vem reforçar o compromisso da marca com a sustentabilidade onde foram definidas «metas realistas e planos de ação que representam o esforço de muitas pessoas numa cadeia por vezes bem complexa», revela Paulo Pinto, CEO da La Redoute em Portugal. «Não é uma tarefa simples, mas é o nosso compromisso para com a sustentabilidade do planeta, a pensar no futuro», afirma.

Do tradicional catálogo de venda à distância, a La Redoute evoluiu para um modelo de comércio eletrónico e hoje posiciona-se como uma retalhista omnicanal. Presente no mercado português desde 1988, abriu a primeira loja física em Lisboa em outubro de 2020, um espaço com 400 metros quadrados dedicado ao mobiliário e decoração.

No passado mês de março, a gigante francesa Lafayette deitou a mão toda à La Redoute, passando a deter a totalidade do capital da retalhista de moda.