Início Notícias Retalho

Comércio eletrónico acelera na Índia

O mercado indiano deverá suplantar os rivais da região nos próximos anos, depois de melhorias ao nível do pagamento e do acesso à Internet.

O mercado do comércio eletrónico na Índia está a explodir, mantendo-se um dos que crescem mais rapidamente a nível mundial e deverá, em breve, ultrapassar regiões concorrentes. Um relatório da americana Forrester Research concluiu que o mercado online indiano deverá crescer à taxa de 29,2%, ultrapassando os 73 mil milhões de dólares (59 mil milhões de euros) em 2022 «representando quase 5,7% do total das vendas a retalho».

O estudo refere que a consultora espera «que o vestuário, calçado e mercearia continuem a ser o centro das atenções dos consumidores no que diz respeito ao retalho online em 2018».

Este crescimento aparece numa altura em que o comércio eletrónico na Índia está a passar por uma desaceleração, devido ao aumento da regulamentação, que inclui diretrizes para o investimento direto estrangeiro, a desvalorização de duas notas de alto valor e um novo imposto sobre produtos e serviços, segundo a Forrester.

Ainda assim, e com um valor atual de 27 mil milhões de dólares (21,8 mil milhões de euros), a Índia está bem posicionada para ultrapassar a Austrália, cujo mercado ascende aos 31 mil milhões de dólares (25 mil milhões de euros).

«A redução nos preços dos dados e o lançamento de serviços 4G com preços razoáveis deverão impulsionar a expansão da base de compradores para o retalho online em mercados como a Índia», salientou a consultora. A adoção crescente de meios de pagamento online também irá ajudar a este movimento de crescimento.

A plataforma indiana de vendas online Flipkart ainda está longe da Amazon, no entanto. Segundo o relatório, a moda «é a única categoria em que a Flipkart tem uma vantagem significativa, devido à compra dos retalhistas Myntra e Jabong. Mas com a aposta continuada da Amazon na moda e mercearia», a concorrente local terá dificuldade em manter a sua posição, conclui o relatório (ver Índia vai ultrapassar EUA).