Início Arquivo

Comércio tradicional perde seis mil lojas

Segundo um estudo da empresa espanhola de consultoria DBK, nos últimos anos em Portugal o segmento de supermercados está a mostrar um maior dinamismo do que os hipermercados. Esta situação, deve-se à grande expansão dos estabelecimentos de “discount” em Portugal. O estudo revela ainda uma forte diminuição do comércio alimentar tradicional entre 1995 e 2000, passando de 33 mil para 27 mil e cuja responsabilidade é atribuída ao aparecimento das cadeias de “discount”. Entre 1998 e 2000 o número de supermercados subiu 5,2% até aos 3914, enquanto que o número de hipermercados subiu 11,5% até 51 estabelecimentos, tendo os primeiros crescido muito mais em volume de vendas. O estudo prevê ainda que a tendência prossiga em 2002. Portugal é neste momento o maior mercado da distribuição espanhola fora das suas fronteiras. Nas últimas semanas, alguns grupos espanhóis anunciaram já o seu interesse em iniciar actividade no mercado português. Alguns deles, como a Riofisa (centros comerciais) e a Mercadona (hipermercados) têm já planos concretos. O mais avançado é o da Riofisa, um grupo imobiliário centrado na promoção de grandes parques comerciais e de lazer, e que já anunciou a assinatura dum acordo com um sócio português para a construção destes tipos de centros em Portugal. No entanto, não foram adiantados mais pormenores sobre o tipo de estabelecimentos que vai construir nem a identidade do grupo português a que está associada. O grupo espanhol leva a cabo as suas operações em sociedade com imobiliárias, bancos ou proprietários de espaços com grande afluência de público como a Renfe (companhia ferroviária espanhola), tendo facturado 168,28 milhões de euros no ano 2000. A Riofisa tem um património de 690 milhões de euros. Em relação à outra empresa, a Mercadona, tem supermercados e hipermercados e está sediada em Valência. Javier Jiménez é o representante em Portugal, e já se encontrou no princípio de Dezembro com responsáveis da Direcção-Geral do Comércio e do Ministério da Economia, com o objectivo de lhes comunicar os seus projectos. Algumas fontes referiram que a Mercadona poderia entrar pelo Algarve, já que o seu principal mercado está situado nas regiões situadas junto à costa do Mediterrâneo. Actualmente, a Mercadona é a segunda empresa de hipermercados em Espanha e a primeira da capital espanhola, à frente da Hipercor do grupo El Corte Inglés. A Mercadona facturou cerca de 4 200 milhões de euros no ano 2001, possuindo 560 estabelecimentos e 26 mil empregados.