Início Arquivo

Concorrência afeta Honduras

A indústria têxtil e de vestuário (ITV) das Honduras perdeu 12 fábricas e 8.100 postos de trabalho em 2011, com parte das mesmas a serem deslocalizadas para o vizinho El Salvador, indicou um porta-voz da associação hondurenha Camtex. «Estamos muito preocupados», afirmou. «Estamos a perder competitividade, sobretudo face ao El Salvador e à Nicarágua, que têm custos de produção muito mais baixos», acrescentou. Segundo o porta-voz, os salários hondurenhos são 38% e 48% mais elevados do que em El Salvador e na Nicarágua, respetivamente. Os preços da energia são «os mais elevados da América Central», tornando mais atrativo para as empresas têxteis produzirem noutro local. A Nicarágua tem também taxas de importação e um ambiente de investimento mais favoráveis, sublinhou o porta-voz, acrescentando que o governo das Honduras deve desenvolver esforços no sentido de ajudar a ITV ou esta poderá desaparecer em apenas alguns anos. «Não podemos continuar assim», alertou. «Estamos a pedir ajuda ao Governo mas não temos razões para estarmos otimistas de que irá fazer alguma coisa». O responsável da Câmara de Comércio das Honduras, Luis Larach, declarou o jornal local Nuevo Diario que a indústria perdeu 16 mil postos de trabalho no ano passado, o dobro da estimativa da Camtex. O porta-voz da Camtex não comentou os números adiantados por Larach, mas confirmou que a perda de postos de trabalho está a aumentar o crime e as taxas de corrupção no país, que tem uma longa história de atividades criminosas e de agitação política que afastaram o investimento externo. Segundo um observador, a indústria tem de trabalhar para se tornar mais «especializada e eficiente» de forma a ultrapassar os rivais Nicarágua e El Salvador. Contudo, para isso, «os salários e os preços da energia têm de descer, ao mesmo tempo que as infraestruturas viárias e de transportes devem melhorar», concluiu o mesmo observador.