Início Notícias Mercados

Consumidores em mudança

As dramáticas alterações demográficas mundiais estão a alterar a paisagem do consumo e, segundo um relatório recente da McKinsey & Company, há três grupos de consumidores que deverão gerar cerca de metade do crescimento do consumo global urbano entre 2015 e 2030.

Até à viragem do século, o crescimento populacional gerou mais da metade do total do consumo global. Mas entre 2015 e 2030, três quartos do crescimento do consumo global serão impulsionados por grupos de indivíduos que gastam mais do que os restantes. Esta mudança, como seria de esperar, resultará em implicações profundas para as empresas.

O mais recente relatório do McKinsey Global Institute (MGI) conclui que nove grupos de consumidores vão gerar três quartos do crescimento do consumo urbano global até 2030, sendo que três destes vão gerar metade do crescimento do consumo e ter o poder para remodelar os mercados globais de consumo nos próximos anos.

Eis os três grupos demográficos citados no relatório do MGI.

Reformados e idosos das economias desenvolvidas

Este grupo vai aumentar mais de um terço em número, de 164 milhões em 2015 para os 222 milhões em 2030. E gerar 51% do crescimento do consumo urbano em países desenvolvidos e 19% do crescimento do consumo urbano global. A faixa etária de “60+” será responsável ​​por 60% do crescimento total do consumo urbano na Europa Ocidental e no Nordeste da Ásia (Japão e Coreia do Sul).

Estes consumidores gastam mais per capita do que os jovens, em grande parte devido aos gastos nos cuidados de saúde. Mas o seu consumo vai além da saúde. Nos EUA, este grupo vai contribuir com mais de 40% para o aumento do consumo em habitação, transportes e entretenimento. Contudo, em 2030, dever-se-á assistir a uma maior disparidade do poder de compra entre os idosos do que o que atualmente se conhece.

Apesar de muitos indivíduos situados na faixa etária de “60+” serem ricos, outros não pouparam o suficiente para a reforma. A desigualdade de rendimentos nos EUA entre aqueles com idades a partir dos 65 anos continuará a subir. Nos EUA, as pessoas com mais de 60 anos compraram cerca de dois terços dos carros novos vendidos em 2011.

População ativa na China

Em 2030, este grupo vai crescer 20% –100 milhões de pessoas – e o consumo per capita deverá duplicar. Em 2030, a população em idade ativa da China será responsável ​​por 12 centavos de cada dólar gasto em cidades à escala global.

Este grupo tem o potencial para remodelar o consumo mundial tal como os baby boomers do Ocidente.

População ativa na América do Norte

O consumo de números e o consumo per capita deste grupo vai crescer modestamente, 7% e 24%, respetivamente, entre 2015 e 2030.

Sendo que, de acordo com o relatório, muitos consumidores mais jovens estão sob pressão de rendimentos, são mais pobres do que a geração anterior e têm mais consciência dos seus gastos.

Este grupo revela-se, também, mais etnicamente diverso. Nos EUA, por exemplo, a proporção de latino-americanos adultos jovens (com idades entre os 15 e os 34) triplicou, passando de 7% em 1980 para 21% em 2012.

Em comparação com as gerações mais velhas, jovens adultos são entre 10% a 20% mais propensos a considerar e utilizar os serviços da economia de partilha em tudo, desde o alojamento ao aluguer de carro, passando pelo mobiliário.

Depois de reunida esta informação, a McKinsey encontrou três implicações fundamentais para a estratégia corporativa nos próximos anos:

  1. As empresas vão precisar de se adaptar continuadamente à evolução demográfica e aos padrões de consumo das cidades – e mesmo dos bairros dentro das cidades.
  2. Empresas com a capacidade de desenvolver produtos e serviços personalizados para atender às necessidades de um consumidor cada vez mais complexo deverão prosperar.
  3. A participação crescente dos serviços no consumo global irá, direta ou indiretamente, ter um impacto sobre todos os negócios voltados para o consumidor. Os serviços estão a crescer à medida que os consumidores destacam fatias cada vez maiores dos seus rendimentos para, por exemplo, viagens e saúde.