Início Arquivo

Consumidores esbanjam em vestuário easy-care

Segundo a Performance Apparel Markets, publicada pela Textiles Intelligence, a protecção contra as nódoas é uma das categorias com maior taxa de crescimento nos tratamentos de melhoria do desempenho. E está em vias de se transformar numa característica standard de desempenho no vestuário quotidiano, tal como camisas e calças, graças aos benefícios que proporciona aos consumidores com vidas já deveras atarefadas.

Tal como a resistência à ruga, a protecção contra as nódoas já não é considerada propriamente uma novidade, e as previsões revelam que os consumidores escolherão vestuário anti-nódoas tão rotineiramente como agora optam por determinados tecidos, cores e estilos.

Embora as tecnologias de protecção contra as nódoas já existam há cerca de 40 anos, apenas de há 5 anos para cá é que o seu impacto no mercado tem-se feito sentir. As últimas inovações neste campo são os produtos com dupla acção que oferecem repelência à sujidade e libertação da mesma, e estes produtos estão a adquirir uma popularidade deveras notória.

Até há bem pouco tempo a sua aplicação em roupa estava confinada ao vestuário de trabalho e aos uniformes usados em ambientes onde imperavam o derramamento e a sujidade. Mas nos últimos anos o seu uso expandiu-se consideravelmente, em especial no vestuário casual.

Numerosas grandes marcas, como Dockers, Lee Jeans e Eddie Bauer, oferecem calças casual com repelente à sujidade. As vendas destas calças, que foram amplamente publicitadas na televisão, estão a evoluir de forma bastante favorável.

Isto está a impelir um número crescente de fornecedores de vestuário a incluir artigos com repelência à sujidade nas suas linhas de vestuário. Aquelas que já ofereciam este tipo de artigos passaram agora a incorporar uma maior diversidade na oferta das suas gamas.

Por outro lado, os investigadores têxteis têm procurado encontrar formas de produzir “o último grito” em matéria de vestuário com protecção contra as nódoas: a roupa auto-limpadora. Esta beneficiaria não só o consumidor como também o meio ambiente. Como não precisaria de limpeza convencional, evitar-se-ia o problema da poluição dos efluentes devido à água escoada da máquina de lavar. No entanto, deverá ainda levar alguns anos até que o vestuário auto-limpador chegue ao mercado do consumo massificado.

Por agora, a investigação no campo da protecção anti-nódoas no vestuário está mais focalizada no desenvolvimento de alternativas amigas do ambiente em substituição dos químicos usados actualmente em muitas das tecnologias neste campo.

A protecção contra a sujidade constitui apenas um dos vários acabamentos easy-care dos tecidos – tal como a resistência anti-ruga – que conquistou os consumidores avaros em tempo e que, por consequência, procuram vestuário que necessite o mínimo de cuidado.

Avanços tecnológicos deste tipo permitem que as empresas apresentem linhas de vestuário bem diferenciadas. E isto tem-se reflectido na melhoria dos seus volumes de vendas e das margens de lucro num mercado actualmente caracterizado por uma concorrência feroz e uma deflação galopante dos preços.

A protecção anti-nódoas e outros acabamentos easy-care dos tecidos vão desempenhar, de acordo com a Performance Apparel Markets, um papel preponderante no valor que os consumidores atribuem ao vestuário. Com efeito, prevê-se que a percentagem de vestuário com tratamentos que melhorem a sua performance duplique nos próximos anos.