Início Destaques

Contagem decrescente

Três, dois, um … Partida! A Maroc in Mode e a Maroc Sourcing abrem amanhã as portas, para uma edição com várias novidades: as feiras marroquinas regressam a Marraquexe e, ao contrário do passado, expositores e visitantes vão ter três dias, em vez de dois, para fazer negócios.

Depois de Fez e Casablanca, é novamente a vez da Cidade Rosa, como é conhecida Marraquexe, acolher a Maroc in Mode e a Maroc Sourcing. O local escolhido situa-se na área do circuito internacional Moulay el Hassan, onde se realiza habitualmente uma etapa do WTCC (World Touring Car Championship) e as portas permanecerão abertas a partir de amanhã e até sexta-feira.

«A próxima Maroc in Mode & Maroc Sourcing será o maior evento de sourcing na área do Mediterrâneo. As vantagens de produção e compra são óbvias: Marrocos oferece condições inovadoras e atrativas, os parceiros de negócio são fiáveis, são rápidos e criativos, a produção é realizada sob condições de segurança ambiental e sociais aceitáveis, o rácio preço-performance é excelente, as entregas não têm custos alfandegários e o transporte é rápido devido à proximidade com a Europa», refere, em comunicado, a Amith, a associação da indústria têxtil e vestuário de Marrocos, que organiza os certames.

Para além do espaço e do tempo, a variedade de produtos oferecidos também deverá aumentar. Às marcas e oferta de produtores direcionados para o vestuário, junta-se os têxteis técnicos, têxteis-lar e artigos em pele.

«O alargamento do nosso portefólio de produtos com expositores de têxteis-lar e vestuário e acessórios em pele de elevada qualidade e a presença de fornecedores de têxteis para a indústria assegura a crescente importância da Maroc in Mode & Maroc Sourcing e o crescente interesse internacional nos produtos de moda marroquinos», destaca Mohamed Tazi, diretor-geral da Amith, a associação da indústria têxtil e vestuário de Marrocos.

As relações comerciais entre Portugal e Marrocos na área do têxtil e vestuário têm ainda margem de progressão, apesar do crescimento que têm registado. Entre janeiro e agosto de 2015, as exportações portuguesas de matérias têxteis e suas obras aumentaram para 18,7 milhões de euros, em comparação com 17,7 milhões de euros no mesmo período do ano passado. As importações também aumentaram nesse período, passando de pouco mais de 9 milhões de euros para 9,2 milhões de euros, embora a balança comercial se mantenha claramente positiva para Portugal. Marrocos exporta para Portugal principalmente vestuário exceto tecido (7,5 milhões de euros entre janeiro e agosto de 2015), enquanto Portugal exporta para este país africano essencialmente produtos que se enquadram nas categorias de fibras sintéticas e artificiais (8,3 milhões de euros) e de algodão (cerca de 3 milhões de euros).

Numa tentativa de explorar novas oportunidades em Marrocos, a Cotex, que produz rendas com poliamida, algodão e elastano, entre outras matérias-primas, será, nesta edição, a única empresa portuguesa a expor em Marraquexe. «Pretendemos que o crescimento global se faça sentir, sobretudo no mercado externo, e daí a nossa aposta em mais uma feira de moda (em que temos vindo a participar em algumas edições), desta vez em Marraquexe», revela Milena Raposinho, coordenadora do sector de exportação da Cotex.