Início Notícias Calçado

Corrida à sapatilha – Parte 1

As sapatilhas continuam a marcar as tendências do retalho, tendo já ultrapassado a simplicidade do estilo juvenil e o preconceito das suas origens na moda urbana, para se tornarem num item de referência nas passerelles mundiais.

Casas de alta-costura como Chanel e Dior conjugam modelos luxuosos com silhuetas clássicas nas suas coleções, enquanto designers como Raf Simons e Riccardo Tisci continuam a fazer esgotar coleções colaborativas com marcas desportivas de renome mundial, como Nike e Adidas.

Na sequência do recente comunicado do NPD Group, divulgando que as vendas de sapatilhas femininas alcançaram os 2,8 mil milhões de euros apenas nos EUA, os retalhistas de todo o mundo aperfeiçoam a sua abordagem e implementam novas estratégias de vendas em resposta à procura crescente. O segmento feminino tornou-se uma prioridade, acompanhado da inauguração de um número cada vez maior de espaços comerciais dedicados a este género de artigo. Em paralelo, grandes armazéns como Printemps e Harvey Nichols lançam novos conceitos de sapatilhas, direcionados para os clientes femininos.

À medida que o mercado de luxo se abre a esta nova tendência, os grandes armazéns de luxo reformulam os departamentos de calçado e inauguram novos espaços direcionados exclusivamente ao calçado desportivo.

Alvo feminino
À semelhança do ocorrido com marcas de denim à escala global, assiste-se à inauguração de um número crescente de espaços comerciais dedicados exclusivamente a mulheres, indicando que a cultura do calçado desportivo não é exclusiva do género masculino. A loja Pam Pam abriu portas recentemente na capital britânica como a primeira loja de sapatilhas do Reino Unido inteiramente dedicada ao público feminino, com o objetivo de preencher uma lacuna no plano emergente da moda urbana para mulher.

A loja londrina congrega sapatilhas e vestuário, incorporando um estilo de lifestyle, com aulas de ioga, diversos workshops e eventos musicais e culturais. Planeia, também, receber grupos de corrida e de ciclismo femininos.

O retalhista francês de sapatilhas Courir inaugurou, recentemente, a primeira loja direcionada para o público feminino. Batizada CLaBoutique, está estrategicamente localizada numa afluente artéria parisiense, núcleo agregador de outras marcas femininas de moda urbana. Com mais de 350 pares em exposição, a loja encontra-se digitalmente conectada, disponibilizando iPads a serem utilizados por clientes, ecrãs LED e um espelho interativo.

Reconceptualização dos grandes armazéns
Os grandes armazéns de luxo estão a transformar a sua abordagem no que diz respeito à venda de sapatilhas de design, ajustando a sua oferta e o layout dos espaços como forma de responder à procura crescente dos seus clientes.

Os grandes armazéns londrinos Harvey Nichols inauguraram, recentemente, um espaço de 500 metros quadrados dedicado a uma linha de luxo da marca Adidas, o primeiro da marca germânica no Reino Unido. O espaço elegante e contemporâneo é decorado com impressões em larga escala da campanha Y-3 da estação primavera/verão 2015, replicando o ambiente de uma galeria de arte.

De igual forma, os grandes armazéns parisienses Printemps inauguraram um novo espaço feminino de calçado desportivo, denominado La Sneackers Library, que porpõe criações exclusivas e edições limitadas de 20 marcas de sapatilhas. A área de 90 metros quadrados é envolvida pelo Denim Bar e por outros espaços de pequenos designers, disponibilizando um conjunto de serviços concebidos a pensar na mulher urbana, ativa e consciente das tendências de moda.

Já a loja KaDeWe, em Berlim, inaugurou uma ala masculina inteiramente dedicada ao calçado desportivo, para resposta à procura e crescimento desta categoria. O espaço de 200 metros quadrados, de estilo futurista, articula-se em torno de um expositor metálico de grande dimensão, de prateleiras elegantes e feições angulosas, onde estão dispostas marcas como Kenzo, Maison Margiela e APC.

Por sua vez, o parisiense Le Bon Marché promoveu a estreia do seu novo departamento de calçado com uma instalação de sapatilhas. Os clientes podem personalizar modelos básicos de sapatilhas, utilizando canetas, renda colorida e adornos, beneficiando, em simultâneo, de um bar de sumos e rulote de comida.

Na segunda parte do artigo será abordada a multifuncionalidade dos espaços comerciais aliada a um design inovador e a incorporação de parcerias estratégicas como forma de transformar o conceito convencional de calçado desportivo.