Início Destaques

Cotex põe 2017 a render

Depois de um início de ano mais agitado do que o habitual, a Cotex está a preparar novos investimentos para 2017, na ordem dos 1,2 milhões de euros, que vão permitir aumentar a produção e, sobretudo, diversificar ainda mais o leque de referências de rendas da empresa.

Com motivos florais como base, a Cotex conta atualmente com 160 referências de rendas, um portefólio vasto adaptado a uma oferta diferenciada. Mas a empresa familiar está a preparar novos investimentos para o corrente ano.

«Será um investimento na ordem dos 1,2 milhões de euros, no âmbito do Portugal 2020», revelou o administrador Nélson Cruz ao Jornal Têxtil, num artigo publicado na edição de abril (ver O negócio da moda).

«Estamos a falar de uma máquina de uma geração recente que consegue com facilidade substituir duas ou três máquinas antigas, não só pela velocidade, mas pelo facto de não estar tanto tempo parada, ser muito mais fácil a troca de desenho», explicou.

O início do ano abriu boas perspetivas para a produtora de rendas, que emprega cerca de 40 pessoas. «Janeiro foi um mês que começou cheio de força. Não nos deu sequer tempo de regressar de férias de Natal», confessou o administrador.

«É normal fazermos um refresh da coleção para o ano, com desenhos novos, mas não nos deu sequer essa hipótese, porque as nossas máquinas não fazem amostras, fazem produções, e para fabricar amostras tínhamos de matar produções. Este ano fomos surpreendidos pela positiva», acrescentou Nélson Cruz.

Crescimento sustentado

Os últimos anos, de resto, têm sido de crescimento sustentado, com o volume de negócios a ultrapassar os 1,3 milhões de euros em 2016, depois de um ano de 2015 igualmente positivo (ver Cotex supera todas as provas). «Foi muito similar ao ano de 2015, com um pequeno aumento da faturação e com uma ajuda interessante da exportação direta», que cresceu 10%, apontou o administrador da Cotex.

Espanha e França mantêm-se como os principais mercados da Cotex, que conta ainda com clientes nos países nórdicos, em Itália e, em geral, um pouco por toda a Europa, assim como com as apostas em mercados fora do Velho Continente, como é o caso de Marrocos. «Estamos a tentar perceber quais são os mercados que valem a pena. Estamos a estudar Marrocos e a Rússia, mas ainda estamos a tentar perceber isso», admitiu Nélson Cruz.

Com os novos investimentos e a exploração das oportunidades internacionais, tanto no negócio da lingerie como da moda, a Cotex antecipa para os próximos anos a consolidação do negócio. «Crescer é o que todos querem, mas se conseguirmos manter é bom, uma vez que temos vindo a crescer de há 10 anos para cá – também chegamos a um ponto que não é muito fácil estar sempre a crescer. Manter este nível é o que ambicionamos», resumiu o administrador.