Início Destaques

Creora bio certificada eco-produto pelo SGS

Com 30% de materiais derivados de petróleo substituídos por matérias-primas naturais provenientes da produção de milho, a creora bio recebeu a certificação eco-produto do SGS. Segundo um estudo do ciclo de vida, a produção desta fibra de elastano reduz a pegada de carbono em 23% face à sua homóloga convencional.

[©Hyosung TNC]

A certificação de eco-produto por parte do Standard Global Services (SGS) garante que esta fibra creora é fabricada a partir de plantas e de forma a ter um impacto reduzido no meio ambiente. O elastano creora de base bio da Hyosung apresenta 30% de recursos à base de petróleo substituídos por matérias-primas derivadas do cultivo de milho.

De acordo com um estudo do ciclo de vida do produto conduzido por terceiros, a produção de elastano creora de base bio reduz a pegada de carbono em 23% comparativamente à produção de elastano convencional. Além disso, a matéria-prima vegetal usada na produção da fibra é cultivada de forma responsável pelos agricultores, que não medem esforços para proteger o solo, o ar e a água.

«As marcas estão a tentar desenvolver conexões mais profundas e de confiança com os consumidores preocupados com a forma como os produtos que adoram têm impacto no ambiente», afirma Mike Simko, diretor de marketing mundial de têxteis da Hyosung. «Enquanto fornecedores de soluções têxteis sustentáveis, era muito importante para nós certificar e documentar o elastano creora de base bio, para que as nossas marcas parceiras possam transmitir esta verificação e manter a fidelização dos consumidores», explica.

Embora idealmente esta fibra deva ser usada com fibras naturais ou artificiais derivadas de fontes vegetais, o elastano creora de base bio pode ser usado em todo o tipo de aplicações têxteis, incluindo vestuário de desporto, pronto-a-vestir e loungewear, conferindo as mesmas propriedades de elevada elasticidade e recuperação do elastano creora Powerfit. No futuro, adianta Mike Simko,

[©Hyosung TNC]
a Hyosung planeia ter elastano creora de base bio produzido totalmente com matérias-primas de base biológica.

Escala em Munique

A Hyosung está também a preparar a presença na feira de desporto ISPO Munich, que se realiza de 28 a 30 de novembro, onde além da sua oferta de produtos vai apresentar as tendências têxteis para o outono-inverno 2023/2024, que têm como tema Interconnected Future (ou futuro interligado). O Fashion Design Center da empresa, que está disseminado pela Europa, EUA e Ásia, criou um caderno de tendências que espelha os materiais que as grandes marcas de vestuário vão incorporar nas coleções do próximo ano, revela a Hyosung no seu blogue.

«À medida que a pandemia de covid-19 é ultrapassada, prevemos uma maior interconexão entre os sistemas social, ambiental e económico, que irá espoletar uma mudança de mentalidade do individualismo para a interligação, que está a moldar as novas atitudes e comportamentos do consumidor», avança Lewis Hong, diretor-geral e de equipa do Hyosung Fashion Design Center. «Para o outono-inverno 2023/2024, antecipamos tendências têxteis focadas em materiais que são amigos do ambiente e proporcionam multifuncionalidade e conforto. Estéticas práticas e detalhes interessantes na superfície são também importantes agora que podemos novamente envolver-nos pessoalmente na comunidade», aponta.

Entre os materiais em destaque em Interconnected Future – que se divide nas subtendências Sport Smart, Exploration of Outdoors, Pratical Aesthetics e Science of Comfort – encontra-se o elastano de base bio creora, assim como a poliamida Mipan Regen Ocean, obtida a partir de redes de pesca recolhidas nas zonas costeiras.

«Enquanto fornecedores de soluções têxteis, estamos gratos por trabalharmos e colaborarmos com toda a cadeia de valor para ajudar as nossas marcas-parceiras a inovar continuamente e a oferecer produtos ainda antes dos seus consumidores saberem que os querem», conclui Lewis Hong.