Início Notícias Moda

Crianças apoderam-se do Portugal Fashion

A moda infantil tomou de assalto a Alfândega do Porto na manhã de ontem, antes do Portugal Fashion fechar as portas da sua 44.ª edição. Numa iniciativa do projeto ModaPortugal do CENIT, debateu-se o negócio da moda infantil e, em estreia absoluta, desfilaram quatro marcas de vestuário para criança.

Turquesa Beach

Pela primeira vez na história do Portugal Fashion, a moda infantil esteve em destaque, com os desfiles das marcas Laranjinha, Phi Clothing, Play Up e Turquesa Beach, numa ação promovida pela ModaPortugal, uma iniciativa do CENIT – Centro de Inteligência Têxtil e da ANIVEC – Associação Nacional das Indústrias de Vestuário, Confeção e Moda.

Ainda antes dos desfiles, Ione Rangel, influenciadora digital e mãe, Catarina Rio, fundadora do evento Um dia no Mercado e Luís Figueiredo, CEO da Hall e Cª, detentor da Laranjinha, debateram “O negócio da moda infantil”, numa conversa moderada pela ex-modelo Diana Pereira. «Temos de estar sempre a reinventarmo-nos», afirmou Luís Figueiredo. «Há 22 anos, iniciámos o processo de internacionalização da marca, sem internet e sem redes sociais. Os mercados conquistados nessa altura são onde temos a implementação mais forte atualmente. Os novos mercados são mais difíceis. Hoje em dia, é mais fácil aceder aos mercados, mas concretizar essa implementação é outra coisa», revelou.

Luís Figueiredo, Diana Pereira, Catarina Rio, Ione Rangel

Para Ione Rangel, as redes sociais vieram revolucionar essa internacionalização. «O Instagram mudou o mercado. Os millennials querem que os filhos sejam uma extensão de si mesmos, que sigam as tendências», assegurou. Catarina Rio, fundou o evento “Um dia no mercado”, que dá precisamente espaço às marcas digitais se mostrarem ao público. «Traz uma série de vantagens importantes, como dar um rosto que está atrás da marca que, muitas vezes, não tem website, apenas redes sociais. As influenciadoras também vão, compram e publicam. O público preocupa-se cada vez mais com a moda infantil: marcas pequenas, exclusivas, que criam produtos únicos e personalizáveis», explicou.

Modelos em tamanho pequeno

As crianças invadiram os bastidores e a passerelle do Portugal Fashion no domingo de manhã, com a agitação infantil a conjugar-se com a azáfama habitual.

Laranjinha

A Laranjinha foi a marca infantil a inaugurar a passerelle, com uma coleção que se inspirou na temática da natureza «e a forma como as crianças vêm na natureza» resumiu, ao Portugal Têxtil, Inês Costa, designer da Laranjinha, que enalteceu a iniciativa. «Há tantas marcas portuguesas para criança, tantas pessoas com projetos tão interessantes, que muitas vezes têm visibilidade lá fora e não têm em Portugal. É muito importante esta iniciativa», reconheceu.

Filipa Moreira, fundadora da PhiClothing, marca que se seguiu na passerelle com uma coleção romântica e clássica, garantiu que este domingo se deu início a «um caminho de sucesso, que vai crescer e mostrar o que se faz de bom em Portugal».

PlayUp
PhiClothing

Já a Turquesa Beach, insígnia criada há cerca de um ano, apresentou uma gama de produtos com tratamento anti-mosquito numa «linha divertida», sublinhou a fundadora Madalena Dias. «Foi extremamente positivo. Parece que as crianças deste país estavam um bocadinho esquecidas», indicou.

Uma opinião partilhada pela diretora criativa da Play Up, Susana Correia, que assegurou que o segmento infantil «estava mesmo a faltar. Temos marcas fantásticas que têm que subir ao palco».