Início Notícias Tendências

Crianças mais adultas no outono-inverno 20/21

Obras de arte e marcas de vestuário de adulto conjugam-se com viagens intergalácticas e jogos de computador para inspirarem o vestuário infantil para o outono-inverno 2020/2021. Considered Comfort, Tech-tility e Reconstructed Legacy são as três tendências apontadas pelo WGSN.

As três tendências derivam dos grandes ideais que vão marcar do início da nova década, que incluem valores como a sustentabilidade e a inclusividade, numa geração cada vez mais preocupada com o futuro do planeta e da vida na Terra, mas que vive entre dois mundos: o natural e o digital.

É nessa dicotomia que se encontram também para o vestuário de criança para o outono-inverno 2020/2021. A paleta sugerida pelo WGSN divide-se, por isso, em duas partes: uma com os tons naturais e a outra com os tons artificiais.

As cores principais do vestuário de criança incluem tons de rosa e pêssego para animar as gamas de inverno. Cores acastanhadas, como “café com leite”, podem ser usadas como neutras, mas também funcionam num contexto de moda. O WGSN sugere ainda um novo tom, batizado “Unbleached”, que joga com a importância de tingimentos mais sustentáveis, e o castanho escuro e o azul-tinta como alternativas ao preto.

As diversas paletas de cor secundárias destacam diferentes tendências: os castanhos com tons de pôr do sol para as peças mais nostálgicas e reminiscentes dos anos 70, os cinzas para o minimalismo, a conjugação de vermelhos e rosas para o maximalismo, os tons escuros pontuados com roxos e dourados para o vestuário de festa e os verdes artificiais para as tendências mais digitais.

Além das cores, para a estação fria de 2020/2021, o WGSN aponta três tendências: Considered Comfort, Tech-tility e Reconstructed Legacy.

Considered Comfort

A mudança na relação que temos com a casa inspira designs de vestuário de criança que são duráveis, flexíveis e, acima de tudo, confortáveis.

O apelo calmo e aconchegante da casa é uma inspiração para esta tendência, onde os ecrãs são desligados e a caixa dos trabalhos manuais é aberta.

As malhas polares terão um papel preponderante nesta tendência, com as cores naturais a enfatizarem o foco na sustentabilidade.

A atenção está também em peças neutras em termos de género, com designs versáteis e básicos modulares – é o caso de camisolas em algodão orgânico, sem costuras e sem as etiquetas tecidas que irritam a pele.

Silhuetas minimalistas e utilitárias, inspiradas pelo vestuário contemporâneo japonês, estão em destaque, assim como peças que combinam a estética escandinava com a japonesa, dando origem a vestuário casual, minimalista e, ao mesmo tempo, intrincado, como os casacos de estilo quimono, e onde pontuam acolchoados, denim orgânico e tingimentos naturais.

Considered Comfort comporta ainda uma direção para vestuário de festa que se inspira nos lanches “faz-de-conta” dos mais pequenos, composto por coordenados inspirados nos anos 30 combinados com estampados florais vintage, e uma outra opção para um dia a dia mais luxuoso mas com peças casuais, nomeadamente em veludo, que vai beber inspiração a marcas de adultos como a Acne e a Juicy Couture.

Tech-tility

Nesta tendência, o vestuário de criança mergulha no irreal e no desconhecido.

À medida que as famílias e as crianças passam mais tempo a ver o mundo através de um ecrã, a distância entre o real e o irreal diminui e, com os ecossistemas a mudarem, deverão ser descobertos novos animais e plantas. O activewear e o streetwear vão ter uma atualização galáctica e a especialista em videojogos eSports será uma influência-chave a ter em conta.

Dentro desta tendência, uma das direções passa pela imaginação de outros mundos, fantásticos, que se traduzem em casualwear com materiais mais futuristas, incluindo peles a lembrar animais e malhas que parecem vir de fora desta galáxia.

Os estampados tie-dye e camuflados irão ganhar mais proeminência, influenciados por marcas masculinas e femininas como a MSGM e a coleção de estreia de Virgil Abloh para a Louis Vuitton.

O vestuário de festa nesta tendência mantém-se fiel às suas origens luxuosas, mas surge com novas silhuetas retiradas da natureza, como mangas e bainhas inspiradas por borboletas e pássaros.

Os parques temáticos vão ser uma nova influência, fruto do filme Wonder Park, assim como de desenvolvimentos como o parque temático Studio Ghibli e a área dedicada à Guerra das Estrelas na Disneyland. Este é um tema mais divertido, composto por casacos impermeáveis e corta-vento, mini-mochilas e jardineiras com muita cor.

Os acolchoados vão ser usados de formas inovadoras, com silhuetas inspiradas por viagens e explorações espaciais, o sportswear vai assumir características mais técnicas e abstratas e a imaginação irá alimentar a criação de animais de fantasia, que serão transformados em estampados e grafismos com cores artificiais.

Reconstructed Legacy

O passado e o futuro reúnem-se nesta tendência, que explora o vestuário de criança feito para durar, onde se misturam herança, outdoor e elementos do desporto.

O design bebe inspiração no passado para criar visuais que são modernos, divertidos e sustentáveis.

A calma do campo inspira uma das direções, com os clássicos xadrezes e o denim a transformarem-se em silhuetas modernas. As obras de arte clássicas assumem igualmente relevância, no seguimento do vídeo de Beyonce e Jay-Z no Louvre e de marcas como a Off-White e a Supreme.

O streetwear continua a ser um impulsionador importante do vestuário de criança mas, nesta tendência, adota uma estética mais formal, que atualiza peças como sobretudos, calças, camisolas de gola alta e casacos estruturados.

Com os consumidores mais atentos a onde e como as roupas são confecionadas, a transparência vai tornar-se essencial e será procurado vestuário com uma história rastreável, assim como peças com um toque artesanal, textura, confortáveis e com uma grande dose de individualidade.

Os temas dos westerns americanos serão renovados com influências da arte e do artesanato, com motivos dos rodeios a serem incluídos em peças do dia a dia, assim como laços e bordados em blusões em denim e camisas.

Os estilos rebeldes vão evoluir e inspirar-se nos clássicos uniformes escolares para malhas, mas com uma sensibilidade punk, numa referência às bandas dos anos 90, como os Green Day e os No Doubt.

O vestuário de outdoor ganha mais versatilidade, funcionando em diferentes climas e com um toque streetwear, enquanto o vestuário de trabalho inspira peças relaxadas, confortáveis e com estilo.