Início Arquivo

Criatividade de Celsus aplaudida

Os últimos meses têm sido agitados, no melhor dos sentidos, para o estilista português Celso Assunção, mais conhecido pelo nome da marca que criou em 2003: Celsus. Desde a presença na Semana de Moda da Bielorrússia, em Maio, à apresentação do catálogo Celsus no dia 10 de Junho, até ao desfile da colecção “Soldiers of the Sin City” no evento “Pé d’Água” em Aveiro, no dia 26 de Junho, o criador mantém-se em todas as frentes, seja no território nacional ou internacional. Na Semana de Moda da Bielorrússia, Celsus, também conhecido como “o estilista que se inspira nos filmes” voltou a mostrar toda a sua teatralidade num desfile que lhe rendeu o título da imprensa internacional presente de “o mais carismático dos estilistas”, um “cognome” que Celsus justifica pela sua atitude. «Tem precisamente a ver com a nossa atitude e postura, estado de espírito e adequação a cada momento ou evento. Estive presente de uma maneira muito simples, mas tenho o meu estilo, a minha imagem, a minha identidade, que, de uma forma visual, são muito fortes. Faz lembrar um pouco o estilo aristocrata e altivo, contrastando com a minha acessibilidade e humildade, o que faz com que as pessoas gostem de estar e de falar comigo», afirma. Na sua colecção, apresentada igualmente a 26 de Junho em Aveiro, o estilista inspirou-se no conhecido filme “Sin City”, onde as peças, dramáticas, revelam ombros, cintas e ancas bem definidas, evocando a sensualidade feminina e a elegância masculina, com tecidos fluidos e delicados, e uma paleta de cores entre o preto e branco e apontamentos em vermelho e pormenores prateados. A colecção masculina propõe calças ajustadas ao corpo feitas em seda selvagem, pólos e camisas bem estruturadas e sapatilhas metalizadas num estilo camaleónico. O estilista apresentou ainda recentemente o novo catálogo da sua colecção "1846 [Five Points]", cujo tema retrata a corrupção, a esperança, a coragem, a postura e o requinte, num tributo ao mestre da sétima arte, Martin Scorsese, através da longa-metragem “Gangs Of New York”, onde o estilo masculino marcado pela postura, elegância e atitude do dandy contracenou com o feminino sedutor e charmoso, mostrando o requinte da época. Celsus encara-se, sobretudo, como um homem das artes, o que se reflecte no seu trabalho na passerelle. «Acima de tudo sou um senhor das artes. Ao longo da minha formação como ser humano, fui desenvolvendo trabalho nas diferentes áreas artísticas como é o caso da música, artes plásticas, design, teatro, cinema, fotografia, entre outras. Na moda, como profissional, tento estabelecer um elo entre essa minha base e o objectivo final que é a apresentação sazonal na passerelle. As colecções desfilam na passerelle de forma única, transformando esta num palco de emoções», explica o criador. Quanto ao futuro, Celsus quer continuar a surpreender, tanto em Portugal como no estrangeiro. «Com um público cada vez mais exigente e característico, o desafio futuro é interessantíssimo. Significa que temos de mostrar coisas ainda mais arrojadas e que deixem as pessoas de boca aberta e a saltar da cadeira. Na minha opinião tendencial, por uma vertente mais chique e glamourosa», conclui.