Início Notícias Moda

David Catalán: uma marca para o mundo

O designer espanhol radicado em Portugal há uma década tem levado a sua marca epónima a todo o mundo, com uma presença já distribuída por três continentes. Com as vendas como foco principal, David Catalán não esconde o desejo de, no futuro, chegar a novas passerelles, depois de ser presença confirmada no Porto e em Milão.

David Catalán

Dez anos depois de ter chegado a Portugal para fazer Erasmus com Maria Gambina, David Catalán é já um nome de referência em Portugal, ao mesmo tempo que constrói um percurso singular no estrangeiro, onde concentra a quase totalidade das suas vendas.

«O nosso maior cliente é a Alemanha, depois os EUA e, em terceiro lugar, a Coreia do Sul», revela o designer ao Portugal Têxtil. O mercado europeu vale atualmente 50% das vendas da marca David Catalán, sendo os restantes «30% para os EUA, 15% para a Coreia do Sul e os 5% que sobram para o resto do mundo», esclarece.

Estas vendas têm sido alavancadas pela presença, há cinco estações, na Semana de Moda de Homem de Milão, onde o designer tem sempre «um feedback muito bom, porque somos uma das cinco marcas jovens apoiadas pela Câmara da Moda, estamos no calendário oficial – o que aconteceu desde a primeira vez que estivemos lá», indica David Catalán.

Há ainda toda uma envolvente favorável ao negócio que é alimentada pelo designer. «Estamos a trabalhar. Temos um showroom em Milão e fazemos feiras em Paris. A feira em Paris está dedicada ao mercado extracomunitário e o showroom em Milão está feito para o mercado europeu», indica.

A tudo isto soma-se o Portugal Fashion, que tem apoiado o designer nas suas incursões internacionais. Aliás, considera David Catalán, a presença na passerelle portuguesa – primeiro no Bloom, a plataforma dedicada aos novos talentos, e, mais recentemente, no calendário principal – «foi muito importante. Fazer as duas passerelles – Portugal Fashion e Milão – também é importante, são as duas igualmente importantes. Cada uma traz as suas vantagens», realça.

Apontar aos EUA

[©Portugal Fashion/Ugo Camera]
[©Portugal Fashion/Ugo Camera]
Com uma marca made in Portugal, como faz questão de frisar – a única exceção é o calçado, que é espanhol, da terra do designer, que nasceu na comunidade de La Rioja –, David Catalán inspirou-se nos internatos do Reino Unido para a nova coleção. «Normalmente as minhas coleções são inspiradas à volta das fardas. Nesta pegamos nas fardas dos internatos: os calções, as meias altas, os coletes. Mas sempre virando tudo um pouco para o meu universo que, neste caso, é sempre um bocado mais oversize», explica.

Uma coleção que teve um feedback «bastante positivo» desde que foi apresentada em Milão, em janeiro passado. «Estamos a ter bastantes pedidos de peças para serem vestidas por pessoas ligadas ao mundo da música nos EUA e agora também nos estamos a focar um bocado nisso. Está a ser bastante requerida por alguns stylists, o que é importante para nós», confessa o designer.

[©Portugal Fashion/Ugo Camera]
Um resultado que vai ao encontro da estratégia e dos desejos de David Catalán para a marca. «Para já, é ter muitas encomendas, produzir muito mais, quanto mais melhor. E, quem sabe, daqui a uns tempos, desfilarmos também em Nova Iorque. Isso seria uma boa vantagem. Também fazer feiras em Nova Iorque seria muito bom para nós», resume o designer.