Início Notícias Gerais

Denim em estado puro

O verdadeiro espírito do denim, quase em estado selvagem, é o ponto de partida das criações da marca portuguesa WLROD – Roots of Denim, uma marca lifestyle, ligada ao universo do motociclismo, que começa a dar que falar não só em Portugal mas também junto dos puristas um pouco por todo o mundo.

Nas instalações da antiga Reguladora, a empresa que durante décadas deu horas ao país, o tempo é o menos importante. Na WLROD – Roots of Denim, a moda manda pouco e a criação não se faz ao ritmo das coleções. «Esta marca não tem nada a ver com moda», fez questão de realçar Miguel Machado, um dos seis sócios da marca, durante a visita do Presidente da Câmara de Vila Nova de Famalicão, no âmbito do roteiro “Made In”, que teve lugar na manhã de hoje. «A nossa coleção é esta. Claro que vai haver novidades, que vão ser acrescentadas, mas vai manter-se», indicou.

Pode chamar-se slow fashion aos jeans em denim selvedge, aos artigos em tecido encerado “à moda antiga” e aos casacos e acessórios em couro que, de há nove meses para cá, saem de Vila Nova de Famalicão com a etiqueta WLROD para cerca de oito lojas portuguesas. «O mundo está a mudar. As pessoas querem ver o planeta protegido. E todo o nosso processo industrial tem em vista tanto as pessoas como o planeta», explicou Miguel Machado. O design e o desenvolvimento do produto é feito dentro de portas, enquanto a produção é realizada com recurso a parceiros em subcontratação, sempre em Portugal.

Relógios de cuco da Reguladora coabitam harmoniosamente com fotografias de motas e ícones como Bob Dylan, num atelier com uma atmosfera própria onde Paulo Santos, o designer, sócio e coração do projeto mostra, de forma apaixonada, todos os detalhes da WLROD. Com uma experiência de 25 anos no têxtil, onde passou por marcas portuguesas com carácter internacional Cheyenne e a Heavy Jeans, o interesse pelo mundo das motas e do denim levou-o a criar primeiro a Winning Line – uma empresa onde faz private label para cerca de 10 marcas estrangeiras, como a suíça Rokker Company, às quais em breve se deverá juntar a Ralph Lauren. «Trabalho com estas marcas na linha mais purista, mais vintage, com denim selvedge», referiu o designer. «A Winning Line nasceu com a ideia da marca própria. Já nessa altura andava na minha cabeça ter um artigo premium, vintage – algo de qualidade, de longa duração», afirmou.

O denim selvedge é a matéria-prima de eleição na WLROD (acrónimo para Waist Lenght [duas palavras habitualmente presentes nos jeans] Roots of Denim), com indigo usado «na forma mais natural possível» e sem lavagem. «Os “bigodes” e os efeitos no denim são criados pelo uso, pelo próprio corpo humano», explicou Paulo Santos, que recomenda a utilização, sem lavagem, pelo menos durante quatro meses. Quanto menos lavagens, de resto, melhor a manutenção do artigo. A fazer prova disso estão expostos no atelier uns jeans que foram usados durante um ano sem lavar. A marca oferece também jeans com um banho antibacteriano, para os mais exigentes com a higiene, assim como um tratamento para limpeza dos produtos sem utilização de água.

O cuidado com a manutenção das matérias-primas usadas na criação dos produtos é um ponto de honra para a WLROD, que oferece também t-shirts em algodão orgânico e casacos com tecidos encerados, produzidos pela British Millerain, uma mítica empresa britânica, fundada em 1880, que se tornou uma referência neste tipo de artigo, e cuja etiqueta acompanha os produtos da WLROD. «As pessoas querem saber de onde vem o produto. Querem que a peça seja premium em todos os aspetos», acrescentou Miguel Machado.

Os preços, que variam entre 160 e 400 euros por uns jeans e 600 euros para um casaco em couro, são, acreditam os promotores da marca, «competitivos em termos internacionais». O próximo passo é, por isso, lançar o projeto de internacionalização da WLROD, que deverá dar os primeiros passos em 2016 e prosseguir em 2017, com vista a chegar a mercados como Alemanha, França, Holanda, Inglaterra e países nórdicos. Para já, além das cerca de oito lojas que já vendem a marca, os consumidores podem fazer as suas encomendas online.