Início Arquivo

Denim será rei do Verão

A última Première Vision confirmou aquilo de que já se desconfiava: o denim, sozinho ou misturado, será o rei do Verão 2002.

 

Os fabricantes de tecidos em denim não têm mãos a medir para satisfazer as encomendas e reorganizam-se para responder de uma procura que exige produtos de gama cada vez mais alta. As fantasias e os efeitos ópticos são o último grito num subsector onde a imaginação está no poder. Os algodoeiros estavam felizes da vida com as consequências previsiveis do boom do jean. O denim misturado com poliester, linho ou cânhamo conquistou os visitantes, muitos sensíveis ao toque e ao aspecto original. «O consumidor começa a reclamar conforto em todas as peças do seu guarda roupa», afirma o fabricante da fibra Filifine (Tergal), que está apostado em «dar talento ao algodão com misturas marotas».

 

«A oferta é muito ampla e todos os desenvolvimentos fantasia têm boas hipóteses de sucesso, mas os aspectos muito «flammés», destinados a ser «destroy» continuam a agradar», explica  Birgit Rohner, responsável pelas colecções da Lauffenmuhle. Os desenhos com motivos de camuflagem do exército e as riscas de zebra estão em vias de se estender a todo o vestuário,   «Dado que os visitantes conheciam as nossas colecções de cor e salteado e precisam de apresentar novidades, chegou o momento de  tentarmos convencê-los a usar qualidades mais técnicas e fazer valer o facto de que um tecido performante pode ser um argumento suplementar para impor os seus produtos na distribuição», sugere Yves Girard, responsável pelo marketing da Tejidos Royo, cujos denims resistentes, fáceis de usar e apresentando uma função ainda inédita no sector (a transferência de humidade) suscitaram muito interesse.

 

Em conclusão, os tecelões estão de acordo em considerar que as tendências esboçadas nos salões precedentes não evoluem muito na Première Vision: natural mas easy-care, rústico e topo de gama, cores alegras mas pastel e o incontornável denim, verdadeiro ou falso, foram as palvaras mais ouvidas durante os quatro dias do certame.

 

Contra a Texworld

A Première Vision propôs uma acção contra a Texworld, no Tribunal de Comércio, por  concorrência desleal. Desde 1997, ano do começo da Texworld, as duas feiras realizam-se em simultâneo, razão pela qual há um conflito que se mantém latente entre as duas. «Deveríamos ter intervindo mais cedo; agora, os expositores não querem aguentar mais», comentou Daniel Faure da Première Vision, sobre o processo. Ambas as feiras realizaram-se no inicio do mês de Março. Uma providência cautelar emitida em 1998, que impede a Texworld de realizar-se com menos de 15 dias de diferença, nunca foi respeitada nem executada. O director da Texworld, Daniel Rubinstein, defende-se contra a acção da Première Vision: «Não há direitos exclusivos na área das feiras, mas uma concorrência livre. Em caso de dúvida, Bruxelas decidirá».

 

Concertação no Porto

É no salão francês da Première Vision  que se decidem, com um ano de antecedência , as cores e materiais e onde se exibe a melhor criatividade europeia.  Desde Maio de 1990 que o CITEVE passou a representar as empresas nacionais de tecelagem, malhas e acabamentos presentes neste certame. Antes da definição de estratégias tudo é discutido ao pormenor (concertação estratégica) e com dezoito meses de antecedência o Departamento de Moda da Première Vision analisa o estudo realizado pela concertação europeia, da qual faz parte o CITEVE, e prepara o cartaz de cores e principais tendências.  De dois em dois anos, os encontros realizam-se fora de Paris, e este ano o Porto foi o local escolhido para a realização da reunião.  Desta forma coube ao CITEVE a organização deste encontro, que tem como principais objectivos  favorecer a imagem internacional das ITV de Portugal e proporcionar o contacto entre os empresários nacionais e as personalidades da indústria têxtil europeia, que constituem o conselho de administração e o conselho europeu  do primeiro salão mundial de tecidos de vestuário.  A concertação incluiu um passeio pela região do Douro e visita às caves do Vinho do Porto.