Início Notícias Têxtil

Denim voltou a Paris

No regresso a Paris, depois de cinco edições em Barcelona, a Denim Première Vision reuniu o mundo da tela índigo na Cidade-Luz, incluindo as mais recentes inovações, tendências e práticas ecológicas que estão a ganhar força no “planeta azul”.

A Denim Première Vision regressou a Paris a 2 e 3 de novembro para uma edição sob o mote “Tomorrow is Calling” e consigo levou 80 expositores e cerca de 2.300 visitantes internacionais ao Paris Event Center, incluindo representantes de retalhistas e marcas como a New Look, Marks & Spencer, Topshop, Next, Vivienne Westwood, 7 For All Mankind, Kenzo, Levi’s e Zara, assim como da dupla portuguesa Marques’Almeida.

«Deixamos Paris em maio de 2014 numa altura em que as circunstâncias pareciam estar reunidas para que o fizéssemos. Quisemos novamente iniciar um movimento ao montar uma feira renovada numa nova localização, numa cidade enérgica e inspirada com diferentes influências culturais», justifica Chantal Malingrey, diretora da Denim Première Vision, em comunicado. «A Denim Première Vision quer manter-se fiel ao seu conceito e valores originais, continuando a juntar, de forma relevante, a melhor oferta internacional especializada, e criar uma plataforma mundial para servir um negócio mundial», acrescenta.

Num universo cada vez mais competitivo, a diferenciação é fundamental para os expositores na Denim Première Vision, até porque há outros eventos dedicados ao universo do jeanswear, como a feira Kingpins (cuja edição em Amesterdão teve lugar uns dias antes, a 26 e 27 de outubro). «Obriga as marcas que querem reivindicar o estatuto premium a abordar o denim de uma nova forma», destacou ao Journal du Textile François Girbaud, que apresentou a sua segunda coleção de tecidos Ndl (Note de l’auteur) com o grupo paquistanês Naveena Denim.

A sustentabilidade e a redução do impacto ambiental fizeram igualmente parte das mais-valias apresentadas por muitos expositores. A empresa francesa Filatures du Parc mostrou fios com fibras recicladas enquanto a Vicunha passou a produzir a sua coleção com algodão apenas da Better Cotton Inititive (BCI). A empresa brasileira lançou ainda para a primavera-verão 2018 a gama de tecidos Eco Recycle que usa fios produzidos com incorporação de desperdícios. «Depois de um arranque muito movimentado em Amesterdão [na Kingpins], o regresso da Denim Première Vision a Paris foi incrivelmente bem recebido pelos visitantes. Com uma oferta com novos artigos e peças essenciais especialmente pensadas para o mercado europeu, o conceito de stand da Vicunha foi eficiente e focado», revela a empresa em comunicado, dando conta de um «um feedback positivo».

As novidades dos expositores incluíram ainda a linha Neoprene da Artistic Milliners, pensada para jeggings, uma gama de denim para homem e senhora da Calık Denim que combina elasticidade com um look denim original e a linha Indisense da Orta Anadolu, «uma gama de denim infundida com elementos naturais como algas, zinco ou prata para benefícios cosméticos», como explicou à Drapers Gülfem Şanto, que lidera a equipa de marketing da empresa turca.

A feira dedicada ao universo do denim contou ainda com a primeira edição do Première Vintage Market, organizado pela italiana Denim Boulevard, que ofereceu a oportunidade de comprar uma seleção de vestuário vintage, assim como um programa de apresentação de tendências – expostas no fórum de tendências à entrada – e de conferências e seminários à volta dos desafios e evolução da indústria, incluindo a intervenção da diretora de design de denim da Guess, Ikeme Eshemokhai, que destacou a importância da relação qualidade-preço, sobretudo entre as marcas de denim premium. «Se está à venda por 200 euros, tem de parecer como se custasse isso, não como algo que possa ser comprado na Zara por um terço do preço», destacou.

A Denim Première Vision regressará a Paris a 26 e 27 de abril, numa edição em que irá celebrar o 10.º aniversário.