Início Arquivo

Designers dão vida à Pasarela Barcelona

Esta é uma história de resistência, já que, quando tudo parecia decidido e a Gaudi, tal como a tínhamos conhecido enterrada, e quando a administração colocou um ponto final… os designers tomaram as rédeas do seu destino.

 

Assim nasce a Pasarela Barcelona, cuja primeira edição será celebrada nos dias 18,19 e 20 de Janeiro na sala Barcelona’92, anexa ao Palau Sant Jordi.

 

O presidente desta iniciativa é Josep Maria Donat (marido de Toton Comella e empresário de TCN) e terá um comité de designers e empresários do sector encarregado de fazer chegar a consenso as decisões que se tomam e constituído por Antonio Miro, Juste de Nin, Josep Maria Donat, Sita Murt, Mireya Ruiz, Josep Abril, Antoni Morral, Joaquim Verdú, Alberto Aza, Txell Miras, Javier Simorra, Peter Aedo, Guillermina Baeza e Dolores Cortés. A coordenação geral estará a cargo de Montse Escobar e a produção de Ghezzi Equipo.

 

O calendário oficial dos desfiles ainda não foi programado, mas a grande novidade e segundo o noticiado por vários órgãos de comunicação Custo Barcelona deverá estar presente no calendário da nova Pasarela Barcelona no próximo mês de Janeiro.

 

Como toda a gente sabe, a passarela de Barcelona vai substituir a Gaudi, e cola-se à Bread & Butter, feira que irá receber mais de quinhentos clientes da marca.

 

O que toda ninguém sabe, é que a colecção que será apresentada na Pasarela Barcelona será a do Verão 2006, a qual já vimos em Setembro em Nova Iorque, agora sim, com alguns toques do Inverno 2006/2007.

 

Custo Barcelona conseguirá uma grande acção de promoção entre as centenas de clientes presentes em Barcelona, e a nova Pasarela poderá encerrar uma das suas jornadas com um grande poder mediático.

 

Desta forma, todos ficam contentes, especialmente Custo Barcelona, que conseguirá ser o protagonista indiscutível da Bred & Butter e acima de tudo, com o seu valor acrescentado dará um especial realce e esplendor a uma passarela recém criada.

 

No entanto, é opinião geral, que é uma pena que não se guarde o nome de Gaudi. Já se sabe que pertende à Administração e sua passarela, mas talvez se tivesse conseguido negociar uma outra solução, de forma a perpetuar o nome da anterior Pasarela.

 

Se muitos decidiram integrar a nova Pasarela Barcelona, outros decidiram ir para fora de Espanha e outros ainda, optaram por Madrid. Resta ver se a decisão da administração terá sido a mais acertada…