Início Destaques

Dinamarca ganha ligação direta

Antecipando um aumento das exportações de têxteis e vestuário para o país de Hans Christian Andersen, que tem vindo a crescer este ano e atualmente é o 10.º destino deste tipo de produto “made in Portugal”, a Garland tem um novo serviço de transporte direto para a Dinamarca que poderá ajudar a reforçar as relações comerciais.

[©Garland]

A nova aposta arrancou em outubro e tem como parceiro internacional a sucursal dinamarquesa da Evolog, uma das maiores empresas transportadoras de têxteis e vestuário da Turquia para a Dinamarca, localizada em Herning, um dos centros nevrálgicos do país escandinavo.

«O novo serviço direto da Garland permitirá distribuir as mercadorias nacionais por toda a Dinamarca em cartões, pendurados ou paletes. Em sentido inverso, disponibiliza a recolha do mesmo tipo de carga e consolidação da mesma nos centros logísticos da Garland em Cascais e na Maia», explica a Garland Transport Solutions em comunicado.

O serviço direto sai às quintas e sextas-feiras, com chegadas às terças e quartas-feiras, garantindo que «a distribuição de mercadorias nos principais pontos industriais dinamarqueses será assegurada em 24 horas», sublinha.

A empresa decidiu apostar neste mercado pelo facto da Evolog dispor de clientes na Turquia e na Dinamarca que importam têxteis e vestuário de Portugal. A Garland antecipa ainda uma transferência das encomendas deste tipo de produto da Ásia para outros países de proximidade, nomeadamente para Portugal.

«Além de a Dinamarca ser um importante cliente do nosso país no sector têxtil e do calçado, numa altura de crise como a que enfrentamos, só antecipando as tendências poderemos manter-nos como um dos líderes nacionais nos sectores em que operamos. Acreditamos que a pandemia provocará uma transferência das compras neste sector do Oriente para a Europa, incluindo para Portugal, onde este mercado é internacionalmente reconhecido», afirma Giles Dawson, administrador do grupo Garland.

Exportações aumentam em 2020

Segundo a AICEP – Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, a Dinamarca ocupa uma posição com alguma relevância no contexto do comércio externo português, tendo sido o 20.º cliente de Portugal, com uma quota de 0,72% do total, e o 27.º fornecedor, com uma quota de 0,51%. A balança comercial de bens é favorável a Portugal, com um saldo positivo de cerca de 23 milhões de euros em 2019.

As principais exportações para a Dinamarca são calçado (21,3% do total em 2019), veículos e outro material de transporte (16,2%) e vestuário (11,7%).

Evolog [©Garland]
No ano passado, de acordo com os dados do INE – Instituto Nacional de Estatística, Portugal exportou 76,8 milhões de euros de matérias têxteis e suas obras para a Dinamarca, das quais cerca de 34 milhões corresponderam a vestuário e seus acessórios em malha, aproximadamente 17 milhões foram de vestuário e seus acessórios exceto de malha e 11,8 milhões de euros de outros artefactos têxteis confecionados, onde se integram a maior parte dos têxteis-lar.

Já entre janeiro e agosto de 2020 (período para o qual existem atualmente dados), as exportações para a Dinamarca aumentaram para 54,9 milhões de euros, face aos 53,6 milhões de euros no mesmo período do ano passado. O aumento foi sentido no vestuário e seus acessórios exceto de malha (para 13,5 milhões de euros em comparação com 12,6 milhões de euros), outros artefactos têxteis confecionados (para 9,1 milhões de euros face a 8,4 milhões de euros no período homólogo de 2019) e vestuário e seus acessórios de malha (para 22,4 milhões de euros em comparação com 22,2 milhões de euros).