O plano da ITV

Nº 188 | OUTUBRO 2014
O novo Plano Estratégico para o sector têxtil e vestuário até 2020, apresentado no último Fórum da Indústria Têxtil, revela as diretrizes para empresas, instituições e administração pública para esta indústria continuar a crescer, dentro e, sobretudo, fora das fronteiras nacionais.
Download da capa do Jornal Têxtil exclusiva a assinantes
Para fazer download, inicie sessão ou assine já através do registo.



Na edição de outubro do Jornal Têxtil, fique a conhecer, em pormenor, as várias recomendações e diretrizes do novo Plano Estratégico da indústria têxtil e vestuário, assim como o rescaldo do XVI Fórum da Indústria Têxtil, subordinado ao tema “Cluster Têxtil Moda 2020, Estratégia e Ação”, onde intervieram diversos representantes do sector, assim como o Ministro da Economia, António Pires de Lima.

Esta indústria, continua, de resto, de vento em popa, não só em termos económicos, como pode ser comprovado no nosso barómetro e nos dados do comércio externo, mas também em termos de novas apostas, como testemunha a criação de uma área de tecidos técnicos na Penteadora, que irá estar presente em novos certames em 2015, e a concentração do negócio da Polopique, que abandonou Moçambique e o Brasil para se focar em Portugal.

As marcas nacionais continuam igualmente a afirmar-se no mercado – é o caso da Enrico Silvanni, cuja empresa proprietária da marca, a Irsil, acaba de celebrar 50 anos no mercado, e também da Ferrache, que está paulatinamente a conquistar consumidoras em todo o mundo, segundo explicou em entrevista Manuel Ferreira, administrador da empresa que detém a marca de vestuário de senhora. O mesmo está a acontecer no sector dos têxteis-lar, onde empresas como a B. Sousa Dias, Ribial e Inup estão a alargar a sua influência a novas latitudes. E para todos eles, a Chemitex, que contempla um portefólio de produtos para servir praticamente toda a fileira, tem-se revelado um parceiro de confiança, garante Tércio Pinto, market manager da empresa.

Na moda de autor, o Portugal Fashion está a democratizar o seu acesso com a loja no centro comercial Península, no Porto, onde estão à venda algumas das criações que que desfilaram na passerelle em março, enquanto o criador de calçado e acessórios João Pedro Filipe celebrou dois anos da sua marca Senhor Prudêncio. Conheça ainda as grandes tendências que saíram das quatro capitais mundiais da moda – Nova Iorque, Londres, Milão e Paris – para a estação quente do próximo ano.

Os certames internacionais, tão importantes para as empresas portuguesas com ADN exportador, também não foram esquecidos nesta edição do Jornal Têxtil, em que damos conta do balanço do salão de tecidos Première Vision, que pela primeira vez teve duas empresas portuguesas nomeadas para os seus PV Awards, a feira de têxteis-lar Intertextile Shanghai Home Textiles, os salões de moda Momad e CPM e ainda a feira de calçado GDS, já incontornável para muitas marcas nacionais do sector.

Fique ainda por dentro das principais novidades internacionais de empresas como a Toray, Unifi, Coats, Garmatex ou Milliken, assim como da situação atual do mercado da Rússia face à escalada da tensão com o Ocidente, dos avanços e perspetivas da estamparia digital e do retalho online na sua coabitação com as lojas físicas, da nova geração de robots bem distante do imaginário de Robocop e do ponto de viragem da tecnologia wearable, onde o têxtil tem a última palavra.

Neste mês de transição, onde até a hora muda, mude também e garanta que recebe todos os meses a informação essencial para estar a par de tudo o que se passa no sector têxtil e vestuário em Portugal e no estrangeiro. Se ainda não é assinante do Jornal Têxtil, não deixe passar a oportunidade de fazer já a sua subscrição aqui.