Ponte aérea Paris-Porto

Nº 225 | Março 2018
Diferentes mas complementares, a Première Vision e o Modtissimo marcaram a agenda das empresas portuguesas da indústria têxtil e vestuário em fevereiro, com oportunidades de negócio aquém e além fronteiras a agourar mais um ano de crescimento.
Download da capa do Jornal Têxtil exclusiva a assinantes
Para fazer download, inicie sessão ou assine já através do registo.



Nesta edição de fevereiro, o Jornal Têxtil fez uma nova ponte aérea entre Paris e o Porto, e traça, juntamente com as empresas do sector têxtil e do sector do vestuário e os representantes das principais feiras internacionais em Portugal – Tânia Barros, da Messe München, Cristina Motta, da Messe Frankfurt, e Hans Walter, da Messe Düsseldorf –, o perfil dos negócios realizados na Première Vision e no Modtissimo.

Pegamos ainda nos números do Instituto Nacional de Estatística (INE) para cada sector e analisamos o que se passou nos últimos 12 meses e o que se antecipa para 2018.

Nos fios, Lipaco e Inovafil são duas das empresas com negócios bem afiados, a que se juntam a JF Almeida e a SMBM, ambas com novos mercados em linha de mira.

O histórico Grupo Têxtil António Falcão, fundado em 1957, está igualmente com a expansão em vista, mas a estratégia passa sobretudo pelos fios técnicos de valor acrescentado, como conta em entrevista o presidente do conselho de administração, António Falcão.

Seguindo a cadeia de produção, em 2017 houve um aumento da procura pelos tecidos e malhas nacionais, sentido por empresas como a Gierlings Velpor, Familitex, Vilartex, Lurdes Sampaio e Fitecom. Um aumento que justifica novas apostas, como o reforço da estamparia digital da Acatel, a internacionalização da Tabel, a otimização da produção da Idepa, a diversificação do portefólio de produtos da One Way Tex, a busca por parcerias no Magreb da Texser, mais investimentos da Albano Morgado, a expansão para novas geografias da Joaps Malhas, a instalação da Trimalhas em Barcelona e a apresentação de uma coleção técnica por parte da NGS Malhas.

Também o vestuário esteve de vento em popa no ano passado, com um crescimento de quase 3% das exportações. Goucam, Calvelex, Fermir e Marfel fazem o balanço de 2017 e levantam o véu sobre as expectativas para este ano. Conheça ainda os investimentos da Orfama e da Faria da Costa, assim como o segredo do sucesso da Unilopes e da J. Caetano, o projeto da TMR Fashion Clothing, os novos mercados da Rorene e as perspetivas da Ponto por Ponto, da Chua e da Risca de Giz, que têm feito da moda “em ponto pequeno” grandes negócios.

Fique por dentro dos números que marcaram a economia em 2017 com as páginas de conjuntura e não perca as inovações na tecnologia na publirreportagem Máquinas do Futuro, onde Staubli, Lectra, Mind, Gerber Technology e Maquilectra apresentam as suas mais recentes propostas para a indústria têxtil e vestuário.

Tudo isto na edição de fevereiro do Jornal Têxtil. Se ainda não é assinante, não perca mais tempo e faça já a sua subscrição (aqui) para receber mensalmente o seu exemplar com as notícias nacionais e internacionais que fazem a diferença para o seu negócio.