Início Notícias Marcas

Dona da Quicksilver deita a mão à Billabong

A marca australiana de surfwear Billabong aceitou a oferta de compra da empresa norte-americana Oaktree, dona da Quicksilver e sua acionista maioritária. O negócio ficou fechado nos 380 milhões de dólares australianos, o equivalente a 248 milhões de euros.

A Oaktree detém já 19% da Billabong e fez a oferta pública de aquisição (OPA) através do seu negócio de vestuário desportivo, controlado pela Boardriders, a antiga Quiksilver. A também australiana Quiksilver foi reestruturada pela Oaktree no ano passado, mas ainda vende todos os produtos sob o nome original.

A Boardriders vai pagar aproximadamente um dólar australiano por cada ação da Billabong, que representa um prémio de 28% sobre o valor dos títulos a 30 de novembro do ano passado, quando tiveram início as negociações.

As ações da Billabong chegaram a valer 60 dólares australianos mas, nos últimos anos, a marca de surfwear sofreu uma quebra nas vendas em detrimento da forte concorrência de retalhistas online e da moda rápida, como a H&M.

Ian Pollard, presidente da Billabong, reconheceu, em declarações à Reuters, que embora a marca tenha feito progressos nos últimos anos, enfrentou «riscos e incertezas contínuas».

A Billabong detém as marcas Von Zipper, Element e RVCA. Da fusão com a Boardriders resultará o nascimento da principal empresa de desportos de ação do mundo, com vendas a mais de 7.000 clientes em 110 países, negócio de comércio eletrónico em 35 países e mais de 630 lojas de retalho em 28 países.

«A combinação destas duas empresas de desportos de ação, que incluem uma vasta gama de marcas icónicas com herança profunda no surf, neve e skate é muito emocionante para todos os que partilham uma paixão por desportos de ação e ar livre», afirmou Dave Tanner, diretor administrativo da Oaktree ao Just-style. «Estamos empenhados em preservar a autonomia, a criatividade e as culturas únicas de todas as marcas, enquanto alavancamos a melhor plataforma operacional para acelerar o crescimento das marcas no mundo. Estamos entusiasmados por nos tornarmos uma família com a equipa da Billabong e estamos ansiosos por trabalhar em conjunto para alcançar a promessa que esta fusão oferece», revelou.

O negócio deverá estar concluído em abril de 2018, quando os acionistas aprovarem a venda.