Início Arquivo

E o Oscar foi para…

As actrizes de Hollywood brilharam com luz própria na passadeira vermelha da 82ª gala dos Óscares, que mais uma vez ficaram marcados por um glamour sem excessos. «Vimos mais glamour do que na edição anterior. As celebridades apostaram acertadamente nas jóias, maquilhagem e penteados, elevando-os a um outro nível», afirmou Melissa Liebling-Goldberg da revista “People”. A tendência mais forte na conceituada cerimónia que tem habitualmente lugar em Los Angeles foi o vestido longo em tons neutros e decote assimétrico. Entre as marcas que desfilaram no Kodak Theatre de Los Angeles destacaram-se nomes como Chanel, Gucci, Oscar de la Renta, Armani e Versace. Todavia, foi Marchesa a favorita das actrizes candidatas ao Óscar Gabourey Sidibe, Sandra Bullock e Vera Farmiga. «É incrível poder vestir três candidatas, mas sobretudo poder vestir tipos de corpo e idades tão diferentes. Na realidade, a Marchesa foi a principal vencedora da passadeira vermelha», explicou Liebling-Goldberg. Na paleta de cores, o azul que teve o papel de protagonista entre as tonalidades escolhidas. Entre as actrizes que apostaram nesta cor estavam a vencedora do Óscar de melhor actriz secundária, Mo’nique, com um desenho de Tadashi Shoji, e Mariah Carey, numa criação de Valentino. A nomeada para melhor actriz pelo seu papel em Precious, Gabourey Sidibe, apostou também no azul, num modelo simples de Marchesa, cujo toque de originalidade era dado por bordados de flores prateadas. Sandra Bullock, galardoada com o prémio de melhor actriz principal pela sua interpretação em Blind Side, surpreendeu com um vestido prateado de Marchesa. Já a veterana Meryl Streep, 16 vezes candidata a estes prémios, preferiu um elegante vestido branco assinado por Chris March. Mas houve quem optasse por dar maior colorido à cerimónia. Vera Farmiga, outras das candidatas ao Oscar de melhor actriz secundária pelo papel em Up in the Air, elegeu um modelo plissado em rosa fucsia criado também pela Marchesa. Já Sigourney Weaver optou por um vestido assimétrico vermelho assinado pela Lavin paar esta noite em que havia mais estrelas na “terra” dos Anjos do que no céu, enquanto que Paula Patton, outras das actrizes de Precious, deu nas vistas não só pelo seu avançado estado de gestação, mas também pelo vestido laranja de Carolina Herrera.   Aquela que foi considerada a grande vencedora da noite, Kathryn Bigelow, que fez já história como a primeira mulher a receber o Oscar de melhor realizadora, pelo filme The Hurt Locker, envergou um vestido em tons de cinzento, com bordado no peito, da casa Yves Saint Lauren, a marca também escolhida pela já oscarizada Kate Winslet. Por seu lado, Penélope Cruz, vencedora no ano passado do Oscar de melhor actriz secundária e candidata este ano nesta mesma categoria, habitualmente uma referência em elegância neste tipo de cerimónia, optou por uma criação de Donna Karan em tons bordeaux No género masculino, Jeff Bridges, que arrecadou o prémio de melhor actor principal, apostou num smoking Gucci e George Clooney num da Armani. O melhor actor secundário da 82ª edição dos Oscars, Christopher Waltz, pela sua interpretação em Inglorious Bastards, usou um fato Giorgio Armani, enquanto que o realizador James Cameron, cujo filme Avatar já é um enorme sucesso de bilheteiras mas não conseguiu convencer o júri dos Oscars, vestiu um smoking Versace. No entanto, nem todas as indumentárias escolhidas mereceram os elogios dos especialistas. Um desses exemplos foi o vestido lilás da Alta-Costura de Christian Dior usado por Charlize Theron, cujo detalhe no peito mais parecia um sutiã. «Muitas famosas ultrapassaram a barreira do bom gosto nesta edição e Theron foi uma delas», revelou Lawrence Zarian, especialista de moda da TV Guide, que também teceu duras críticas ao modelo envergado por Maggie Gyllenhaal, uma criação de Dries van Noten. «Parecia estar vestida para uma festa havaiana, não para os Óscares», concluiu o crítico de moda.