Início Arquivo

E o prémio foi para…

Diz o povo que “de Espanha nem bom tempo nem bom casamento”. Mas, sem querer tirar a razão ao povo, sopram ventos de mudança do país vizinho – efeitos já do viravento que hoje faz avançar o sector do vestuário infantil português?…

Em todo o caso, foi sob um sol radioso, que a 61ª edição da Fimi – Feira Internacional de Moda Infantil e Juvenil de Valencia (Espanha) serviu de palco para a entrega, pela organização da feira espanhola, do prémio de melhor stand da edição passada ao espaço apresentado pelo Icep e pela Anivec/Apiv. Este stand recriava um estúdio fotográfico onde posavam modelos vestidos pelas marcas nacionais Dr. Kid, Ana Cláudia, Astroland, Belmiro, Natro, Born Babies, Lit Pour Trois, Fató, Valentina, Guilânda, Valti e Laranjinha. Uma iniciativa também inserida no âmbito do projecto Prime.

Afinal, o casamento da moda infantil nacional com a feira espanhola deu frutos. Para além da já longa participação das empresas de vestuário infantil neste certame – por exemplo, a Abilex (Born Babies), a Belmiro e a Valti participam há já mais de uma década – que muitos bons negócios tem gerado para este sector, fica agora para a posteridade o reconhecimento por parte da feira de que o nosso vestuário infantil prima não só pela excelente qualidade, mas também por uma imagem à altura dessa qualidade. 

Foi com alguma emoção que o Presidente da Anivec/Apiv, Orlando Lopes da Cunha, recebeu a distinção das mãos de Alberto Catalá, presidente de Feria de Valencia, na presença de José Vital Morgado, conselheiro para os assuntos económicos na embaixada de Portugal em Madrid. «Este prémio constitui um grande incentivo. Não foi todavia algo completamente inesperado, na medida em que por trás há um longo e árduo trabalho efectuado por uma equipa com grandes competências, e incansável na promoção do nome Portugal», declara Orlando Lopes da Cunha ao Portugal Têxtil. «Provámos que, com a união dos esforços de todos e com o apoio do Icep, podemos realizar feitos que de outra forma não seriam possíveis, reconhecidos não só com esta distinção, mas também pela comunicação social e pelo público em geral».

Para além das feiras e da internacionalização, a Anivec/Apiv está também a intervir em 3 outros importantes eixos: na formação de quadros e de empresários; em inovação e novas tecnologias; e na criação de um gabinete de crise para apoiar as empresas que necessitem de reestruturação, em cooperação com o governo e com os sindicatos. «Estamos satisfeitos com a garantia, dada pelo presidente do ICEP, da continuidade, e até do reforço, dos bons projectos que estamos a levar a cabo, em conjunto com todos os parceiros que reconhecidamente trazem mais-valias à nossa causa», afirma o presidente da Anivec/Apiv. «Os instrumentos fundamentais para a nossa actividade em prol da internacionalização, das marcas – da exportação, em suma – são de facto o Icep e o Iapmei. O primeiro mais virado para acções externas e o outro complementando estas acções também no apoio interno, no desenvolvimento em matéria de tecnologia e na inovação assim como na ajuda à inserção de jovens recém-formados através do programa Inov-Jovem, no qual queremos ser parceiros actuantes».