Início Notícias Tendências

Embalagem verde: a próxima grande tendência

Mesmo que ainda se estejam a esforçar para recuperar do impacto da pandemia de Covid-19, são cada vez mais as empresas da indústria de moda que estão focadas na forma como protegem e embalam os produtos, procurando alternativas para serem mais amigas do ambiente.

[©Canopy]

De acordo com a análise da GlobalData, a questão das embalagens de plástico ou até mesmo de papel, aliada ao fator de uso único, tem um efeito nocivo para o planeta, que deverá ser reparado pelas empresas, uma vez que a crise provocada pelo novo coronavírus acentuou ainda mais o consumo de fast fashion.

«O mundo como o conhecemos está a enfrentar um problema enorme em relação às embalagens, seja de plástico ou papel de uso único, ambos podem ser devastadores para o meio ambiente. Além disso, a crise está a ser exacerbada pela fome implacável por fast fashion e pelo boom das compras online», explica Beth Wright, correspondente de vestuário da GlobalData.

Como estratégia de recuperação e com foco no impacto ambiental, as empresas estão a assumir compromissos sustentáveis que, na sua maioria, prometem erradicar os plásticos descartáveis. «As empresas de moda estão a começar a encontrar o caminho depois de sofrerem um golpe arrasador com a pandemia. Aquelas que estão a tomar medidas para sair da crise querem provar que são sérias quando se trata de sustentabilidade, lançando novas estratégias e compromissos para se reconstruirem melhor», revela Beth Wright, que destaca que que os esforços de sustentabilidade devem abranger todas as etapas da cadeia de aprovisionamento, incluindo a forma como os produtos são embalados.

São várias as empresas que já se moveram neste sentido, como é o caso da VF Corporation, proprietária de marcas como a The North Face, Timberland e Vans, que recentemente estabeleceu novas metas de embalagens sustentáveis, nas quais consta o objetivo de eliminar todas as embalagens de plásticos descartáveis, incluindo os sacos plásticos, até 2025.

Alternativas de proteção

Para contornar o uso de plástico, o grupo H&M desenvolveu um sistema de embalagem de papel multimarca, que consiste em sacos recicláveis feitos de papel certificado. Nos EUA, a marca de lifestyle OuterKnown estabeleceu uma parceria com a Vela, especialista em soluções de embalagens sustentáveis e recicláveis, para eliminar os sacos plásticos da cadeia de aprovisionamento global e adotar alternativas em papel. Por sua vez, a espanhola Mango está a trabalhar num projeto similar como parte da meta de eliminar o uso de cerca de 160 milhões de sacos plásticos anualmente na sua cadeia de aprovisionamento.

[©Instagram/@veja]
A iniciativa Pack4Good da empresa ambiental Canopy continua a ganhar força nas marcas e retalhistas de moda, com a Stitch Fix e o The Very Group a constarem entre as últimas 22 empresas que se comprometeram com o projeto, que visa reduzir o impacto nas florestas das embalagens da cadeia global de aprovisionamento.

O aumento das compras online sustentado pela pandemia veio também contribuir para as empresas de moda estarem a fixar metas para a adoção de embalagens sustentáveis no sector de vestuário, mas Beth Wright considera que «há ainda muito trabalho a fazer».

«Os consumidores não querem receber montes de plástico e/ou papel descartáveis ​​com os artigos de moda, por mais que isso os proteja no caminho para as suas casas. Os players da indústria devem continuar a reconhecer o impacto que essa parte da respetiva cadeia de aprovisionamento tem sobre o meio ambiente e, de facto, na sua reputação», explica a correspondente de vestuário da Global Data. «Mesmo que um artigo de vestuário ou calçado tenha sido fabricado da forma mais ecológica e com os materiais mais sustentáveis, todo este trabalho árduo será prejudicado se um consumidor receber produtos embalados em grandes quantidades de plástico descartável», sublinha.

A Veja espelha a preocupação crescente do consumidor pela questão ambiental, já que é uma das marcas de ténis sustentáveis mais procuradas na Lyst, segundo o “The 2020 Conscious Fashion Report” da plataforma de pesquisa de moda. Com um conceito sustentável e opções vegan, a marca francesa de calçado e acessórios preocupa-se com o meio ambiente em várias etapas, desde os materiais, produção, transporte até à própria embalagem.