O império dos tecidos

Nº 209 | Setembro 2016
Com recurso a estratégias muitas diferentes, as produtoras nacionais de tecidos têm capitalizado a sua rica história, por vezes quase centenária, e apostado na diferenciação e na inovação, no sentido mais lato, para consolidarem o negócio.
Download da capa do Jornal Têxtil exclusiva a assinantes
Para fazer download, inicie sessão ou assine já através do registo.



Nos primeiros dias da rentrée, o Jornal Têxtil dedica o seu Tema de Capa às empresas de tecidos nacionais, dando conta das novas estratégias e produtos que vão marcar os próximos meses. TMG Fabrics, Albano Morgado, Riopele, A Têxtil de Serzedelo, Lemar, Penteadora e Polopique Tecidos revelam as coleções, mas também os processos e o percurso que pretendem traçar nos próximos tempos para garantirem um lugar de destaque no mercado mundial.

O mundo é também o campeonato da Cortadoria Nacional de Pêlo, uma indústria única em Portugal que, apesar da sua já longa história, está apostada em continuar a inovar e a manter-se na crista da onda. O administrador Nuno Oliveira Figueiredo recorda, em entrevista, o início do negócio de fibras e avança algumas das novidades que estão a pôr o nome da empresa no radar das grandes casas de moda de luxo.

Mais recente, mas nem por isso menos empenhada em ganhar notoriedade global, a Trimalhas está a construir a sua reputação além-fronteiras, tendo objetivos ambiciosos para aumentar a sua quota de exportação. Antonino e Tadeu Pinto, os dois administradores, revelam alguns dos projetos em curso, sempre sem esquecer uma das grandes mais-valias da empresa produtora de malhas: as pessoas.

Os negócios portugueses continuam, de resto, de vento em popa, como prova a Inovafil, cujos fios especiais são cada vez mais procurados, a Inarbel, cujo sucesso não conhece fronteiras, a Decenio, que está a convencer com o novo conceito, e a António Manuel de Sousa, que a partir do Porto está a conquistar mercados tão exigentes como o italiano. A Heliotextil, por seu lado, soma novas valências tecnológicas, integrando uma solução completa na área do Rfid e NFC, num projeto inovador que está a atrair as atenções.

A investigação e desenvolvimento é, cada vez mais, um credo diário para a indústria têxtil e vestuário, como mostrou a iniciativa “O têxtil é uma festa”, organizada pela Universidade do Minho, onde foram apresentados diversos projetos inovadores que poderá conhecer melhor nesta edição de setembro do Jornal Têxtil.

Descubra também as principais tendências da moda masculina que calcorrearam as passerelles de Londres, Milão, Paris e Nova Iorque, e o que pode esperar de certames profissionais como a Première Vision, a Texworld, a Apparel Sourcing Paris e a Maroc in Mode.

Fique ainda a par dos números mais recentes do sector, nas nossas páginas dedicadas à conjuntura, espreite os principais projetos de I&D que poderão moldar o futuro do sector e acompanhe as principais notícias internacionais, como o aumento das exportações europeias, a venda da icónica produtora francesa de fios DMC e os maus lençóis em que se encontra a Welspun.

Não se esqueça também de consultar o suplemento “Certificar para Ganhar”, que desvenda as propostas vencedoras da Qtec, Tratave e SGS.

Com o regresso ao trabalho após as férias estivais, o Jornal Têxtil é a melhor ferramenta para estar sempre a par de todas as notícias que marcam a atualidade da indústria têxtil e vestuário, em Portugal e no mundo. Se ainda não é assinante, faça já a sua subscrição do Jornal Têxtil (aqui).