Início Notícias Mercados

Energia trama têxteis turcos

Não é apenas em Portugal que os custos energéticos estão a aumentar. Na Turquia, e também no Paquistão, os produtores de têxteis e vestuário estão igualmente a tentar compensar e acomodar as subidas de preço da energia, com a escassez a levar mesmo as fábricas a encerrar portas no caso da nação sul-asiática.

Turquia [©Flickr/ILO]

As fábricas à volta dos centros de produção turcos de Istambul, Denizli, Izmir e Bursa estão em dificuldades depois da autoridade reguladora do mercado energético da Turquia ter aumentado os preços da eletricidade em 50% para o consumo doméstico e em 125% para o consumo industrial e comercial. Além disso, a BOTAŞ, a empresa estatal criada para transportar o crude do Iraque para a Turquia, que controla os oleodutos e gasodutos do país, anunciou que os preços do gás natural vão aumentar 25% para as famílias e 50% para uso industrial.

«Estamos a fazer todo o tipo de sacrifício para proteger os nossos cidadãos numa altura em que os preços da energia subiram duas a cinco vezes em todo o mundo, especialmente na Europa», afirmou Fatih Dönmez, ministro da energia e recursos naturais, citado pelo Sourcing Journal.

Os custos da energia estão, efetivamente, a escalar em todo o mundo. O preço do gás natural subiu nos EUA, assim como na Europa e na Ásia, resultado de uma procura elevada face à oferta no último ano. A transição para a energia renovável tem ajudado algumas empresas no sector do vestuário, mas o processo é lento e particularmente dispendioso para as muitas pequenas empresas da Turquia, realçam os analistas.

Fatih Dönmez [©Facebook/Fatih Dönmez]
A crise energética surge ainda numa altura difícil para a Turquia, a braços com a desvalorização da sua moeda e uma inflação que atingiu os 35% em dezembro. Isto tem sido particularmente gravoso para a indústria têxtil e vestuário do país. Ainda assim, embora os analistas apontem a necessidade de acelerar a utilização de energias renováveis, também reconhecem que as empresas têm sido capazes de manter a sua competitividade. Segundo o Sourcing Journal, as exportações de vestuário da Turquia subiram 23% entre janeiro e outubro de 2021 face ao período homólogo de 2020, para 15,1 mil milhões de dólares (cerca de 13,3 mil milhões de euros), um crescimento impulsionado particularmente pelo vestuário em malha (+31,2%, para 8,85 mil milhões de dólares).

A Turquia tem beneficiado das mudanças no aprovisionamento no ano passado, resultantes, em parte, do facto da Ásia ter sido fortemente atingida pelo covid-19, com países como o Bangladesh, o Vietname e a Índia a serem afetados por confinamentos e atrasos persistentes nos envios. E apesar das dificuldades, muitas empresas turcas revelaram ter a produção preenchida até abril.

Paquistão a braços com escassez de gás

No Paquistão, além da subida dos preços, a escassez de gás natural liquefeito levou muitas unidades industriais a encerrar mais de duas semanas em dezembro, por falta de energia para continuarem a operar. «Perderam-se mais de 250 milhões de dólares em exportações têxteis depois das fábricas no Punjab terem sido forçadas a fechar», aponta Shahid Sattar, diretor-executivo da All Pakistan Textile Mills Association.

O Punjab, região onde está sediada cerca de 70% da indústria têxtil paquistanesa, sentiu não só um aumento no preço do gás duas vezes superior ao de outros estados, mas também interrupções no fornecimento, revela Shahid Sattar.

Paquistão [©All Pakistan Textile Mills Association]
Tal como a Turquia, o Paquistão está igualmente a sofrer com a inflação dos preços e desvalorização da sua moeda e os produtores da ITV estão a pedir apoios urgentes na área da energia. O país tem como objetivo atingir 20 mil milhões de euros em exportações têxteis no final do ano fiscal de 2022, que termina em junho, tendo registado um aumento de 26,5% nas exportações do sector no primeiro quadrimestre, entre julho e outubro de 2021, para 6,01 mil milhões de euros, de acordo com o gabinete de estatística do Paquistão.