Início Notícias Marcas

Esmér contraria fast fashion

Baseada na transparência, na preocupação ambiental e na liberdade de expressão, a Esmér é o resultado de um sonho que saiu da gaveta em plena pandemia. A marca que defende a autoexpressão, sem padrões, regras ou estilos quer contrariar a fast fashion.

[©Esmér]

Esmér, diminutivo de esmeralda em francês, nasceu pelas mãos da designer de moda Sandrina Rebelo, que depois de inúmeras experiências na área, aventurou-se no lançamento de uma marca de vestuário que reunisse peças exclusivas com qualidade e design. «Há muito que sonhava com um projeto como este, mas confesso que a pandemia foi o empurrão de que eu necessitava para fazer acontecer. A marca foi lançada em junho de 2022, mas a experiência é tão imersiva que parece fazer parte da minha vida desde há tanto tempo (no melhor dos sentidos)», afirma a fundadora.

Embora pensada a partir de um registo mais feminino, a Esmér posiciona-se como uma marca sem género baseada na ideia da expressão individual. «Quem gostar dos designs, tem aqui uma porta aberta para se juntar a nós – é este o lema. Trabalhamos, sobretudo, com a autenticidade», explica ao Portugal Têxtil

[©Esmér]
Privilegiando uma produção 100% portuguesa na Esmér, Sandrine Rebelo percebeu, através do know-how que foi acumulando em cinco anos a trabalhar num departamento de moda, que «não faz sentido apostar na sazonalidade – inclusive, a indústria tem tentado combatê-la há anos. Não estamos a falar de peças intemporais, porque são peças com design e com tendência, mas são peças caracterizadas pela versatilidade», assegura.

Todos os processos, desde a produção até à entrega da encomenda ao cliente, são pensados para garantir a máxima qualidade, rigor e sustentabilidade – esta última uma das preocupações fundamentais da marca, que dá preferência às matérias-primas naturais como o algodão e o linho. «As nossas peças são produzidas em edições limitadas. Trabalhamos de forma próxima com parceiros em Portugal, o que nos permite monitorizar todo o processo de produção. Na verdade, acreditamos que a simplicidade é a base para um mundo melhor», acrescenta a designer de moda.

[©Esmér]
Com apenas três meses de existência, «não podíamos estar mais felizes com o crescimento e notoriedade que a Esmér está a ganhar. Este último drop foi um sucesso com peças esgotadas em 48 horas! Não há como não nos deixar muito felizes e orgulhosos», revela Sandrine Rebelo, referindo-se à última coleção, constituída por seis peças versáteis, únicas e com um design exclusivo que facilmente se conjugam entre si e que foi fotografada no atelier de cerâmico hALL Atelier. «Os nossos designs são pensados para se complementarem entre si, não criamos segundo regras e métricas. Queremos continuar a lançar design versáteis», assume.

Uma apaixonada por arte, a designer de moda está já a trabalhar na próxima coleção, que será em colaboração com a MOLD Cerâmicas. «Ideias e ambições para colaborações não nos faltam, temos muita admiração pelo trabalho que muitas marcas e artistas estão a fazer em Portugal, e seria um orgulho poder colocar a Esmér ao lado desses nomes», reconhece Sandrine Rebelo.