Início Arquivo

Espanholas compram mais roupa

Em Espanha, dos 3,3% de mulheres que gastavam em vestuário mais de 240 contos em 1998, passaram a registar-se 16,9% que gastam mais de 480 contos por ano.

 

É esta a primeira conclusão de um estudo da empresa Miguel Gil, com o intuito de conhecer as preferencias de moda da mulher espanhola, interrogando mil mulheres de diferentes categorias socio-profissionais, de idades compreendidas entre os 25 e os 55 anos, oriundas de Barcelona, Madrid, Bilbao, Zaragoza, Valencia e Sevilha.

 

A mulher que mais gasta no país vizinho é a de Zaragoza, seguida pela de Madrid e pela de Barcelona, com 83,1% das interrogadas a declarar que gastam mais de 250 contos em artigos de moda. Outra das conclusões apresentada é o caracter pouco influenciável da consumidora espanhola, pois mais de metade diz que na hora da compra nada as faz mudar de ideias.

 

As restantes consumidores são influenciadas principalmente pelas montras, responsáveis pela decisão de 14%. Em segundo vem o conselho de uma amiga ou familiar que a acompanhava nas compras ou com quem falara previamente e 7,2% sentem-se influenciadas pelas revistas de moda. Apenas 2,9% sentem-se influenciadas pela televisão. Refira-se que em Madrid, Sevilha e Valencia a mulher sente-se mais independente na hora das compras enquanto que a mulher catalã é a que mais se deixa aconselhar por uma amiga ou por uma familiar, a que lê mais revistas de moda e a que mais consulta a televisão nesta matéria.

 

Quase metade das espanholas afirma que prefere comprar nas lojas multimarca, baseadas na possibilidade de encontrar várias propostas de empresas e criadores num mesmo espaço e uma maior atenção dada ao cliente. As restantes optam pelos grandes armazéns e pelas lojas de uma só marca, sendo estas as favoritas das mulheres de Barcelona e Zaragoza.

 

O estudo refere igualmente que o azul, sobretudo o azul marinho e o azul celeste, é a cor preferida de 36% das inquiridas, o que demonstra uma alteração nos seus gostos pois o preto era a cor apontada no último estudo realizado pela mesma entidade em 1998. Refira-se que 9,8% prefere o beije e 9,1% prefere o verde, sendo vermelho escolhido para momentos especiais.

 

Relativamente à peça de eleição, 49% considera as calças a peça favorita, seguida pelo casaco curto e pelo vestido. Um dos aspectos do estudo a destacar são os factores que baseiam a compra, com 44,9% das inquiridas a referirem a comodidade como fulcral, seguindo-se a qualidade e o design, enquanto que a marca e o preço não se apresentam como relevantes, totalizando apenas 5% das interrogadas.

 

Note-se que, enquanto em Barcelona a mulher se preocupa mais com o design e com o preço, em Madrid a qualidade e comodidade lideram as preferencias. A origem da peça não se revela de primordial importância, com 60,7% a referir a indiferença de o artigo ser nacional ou estrangeiro.