Início Arquivo

Espanholas sentem “frio” britânico

As “estrelas” da moda espanholas Zara e Mango podem ter-se expandido muito no Reino Unido nos últimos anos mas estão a começar a sentir os primeiros sinais da debilidade do consumo e dos elevados custos operacionais, de acordo com os analistas. A Zara, do grupo Inditex, registou um prejuízo de 20 milhões de euros no ano passado, com a valorização do euro e os elevados custos do arrendamento das lojas, combinados com as vendas mais fracas, a prejudicarem os lucros. Também a cadeia de gama mais alta Massimo Dutti, do mesmo grupo, sentiu os efeitos da crise do lado de lá do canal da Mancha e a Bershka e a Paul&Bear conhecem igualmente algumas dificuldades, explicou um analista de Madrid ao Just-Style. Quanto à Mango, cuja campanha com Penelope Cruz tomou Londres de assalto no ano passado, está a atravessar um período difícil, à semelhança das suas congéneres, sobretudo devido aos elevados custos de arrendamento das suas 44 lojas britânicas, que no ano passado representaram perto de 30% das vendas em comparação com os 13% para a Inditex, acrescentou o analista. A Mango não forneceu previsões de resultados para as vendas deste ano, que se deverão manter estáveis em comparação com 2008. Segundo os dados disponíveis, em Setembro de 2009, a empresa tinha atingido os 27,74 milhões de euros, em comparação com os 27,69 milhões de euros do ano passado. A empresa sedeada em Barcelona também não dá informações sobre a previsão de abertura de lojas, mas revelou que os planos para a expansão no Reino Unido não mudaram. Actualmente, a Mango, que tem como imagem de marca a actriz Scarlett Johansson, está a desenvolver esforços no sentido de diminuir os custos com o arrendamento das lojas e «gerir os riscos mais eficientemente», afirmou um responsável da empresa ao Just-Style. Com 88 lojas no Reino Unido (63 Zara), a Inditex reconheceu que as vendas têm sido mais fracas do que o esperado, mas antecipa que as recentes medidas de eficiência que introduziu irão ajudar a aumentar as margens operacionais este ano, depois das mesmas terem caído dos 58% para os 51%. Mas não são apenas estes os casos de cadeias espanholas que estão a ter dificuldades em “Terras de Sua Magestade”. Segundo o Just-Style, a Adolfo Dominguez, que recentemente travou os planos para uma grande expansão europeia, onde se incluía o Reino Unido, estará a perder dinheiro, enquanto a Pronovias e a Desigual, que recentemente abriu a primeira loja britânica na Regent Street, em Londres, estarão também no vermelho.