Início Arquivo

espera de melhores dias

As empresas têxteis e de vestuário na ásia irão precisar de esperar por uma melhoria na economia mundial antes de ver os sinais de uma recuperação sustentada, de acordo com uma nova previsão económica regional publicada este mês pelo Fundo Monetário Internacional (FMI). O relatório sublinha que qualquer tipo de melhoria está dependente de uma retoma das exportações, tendo em conta a especialização das economias asiáticas em produção avançada e o aumento dos laços financeiros com o resto do mundo. Embora a “A Crise Global: o Contexto Asiático” se dirija à recuperação industrial em geral, também sublinha que a queda nas vendas de retalho nos EUA estão a levar a uma redução das encomendas de exportação de países como o Bangladesh e o Cambodja, e a margens de lucro mais baixas devido à redução agressiva de preços no Bangladesh, Cambodja, Mongólia e Sri Lanka. O documento analisa também como o abrandamento da economia está a afectar o sector corporativo da China. Os sectores ligados às exportações como o têxtil e vestuário foram particularmente atingidos, devido à sobrecapacidade que foi gerada nos últimos anos e ao facto das empresas estarem a ser forçadas a ajustarem-se, diminuindo os inventários, cortando nos preços e despedindo trabalhadores. A previsão de 2009 para o sector corporativo da China é difícil de fazer, afirma o FMI, avançando, contudo, com um abrandamento de 6,5% no crescimento do PIB e uma diminuição na procura dos principais países parceiros. O investimento em produção pode enfraquecer se os inventários continuarem a baixar e os lucros em queda causarem uma redução sobre os ganhos acumulados. A fraqueza corporativa pode ainda intensificar-se mais se emergir uma significativa sobrecapacidade em algumas indústrias ou se a diminuição da procura mundial despoletar o surgimento de barreiras proteccionistas. Falhas nos empréstimos informais, através de crédito inter-empresas, e o crédito alargado aos clientes pode ser uma fonte adicional de risco. O relatório acredita que as recentes medidas de estímulo fiscal e outras podem mitigar os impactos negativos, sobretudo se forem complementadas com as reformas nos principais serviços sociais, que poderiam reforçar a base para o consumo privado e impulsionar um forte crescimento a médio prazo. Contudo, um abrandamento mais prolongado irá aumentar dramaticamente as falências na indústria têxtil.