Início Arquivo

Estado dinamiza conteúdos na Internet

Com o objectivo de estimular a produção de conteúdos pelos portugueses na Internet, Mariano Gago, ministro da Ciência e da Tecnologia, anunciou na semana passada a formação de um concurso nacional que irá representar um investimento de 10 milhões de contos até 2006, noticiou o Diário Económico. O conteúdos.pt está disponível a projectos de instituições ou entidades públicas e privadas, inserindo-se no âmbito do Programa Operacional Sociedade da Informação. O anúncio foi efectuado na sessão de abertura da 5ª edição do Dia Mundial Multimédia, uma organização da Associação para a Promoção do Multimédia em Portugal que decorreu no dia 25 de Junho no Centro Cultural de Belém, e que este ano foi subordinado ao tema «A Indústria de Conteúdos e a Economia da Convergência», acrescenta aquele diário. Para Mariano Gago «ao acelerar o investimento público, estamos a dar um sinal à iniciativa privada de vontade e de confiança no sector», explicou o ministro da Ciência e da Tecnologia que acrescentou que «o papel do Estado deve ser o de assegurar a confiança dos mercados, de forma a reforçar as condições de base para o seu desenvolvimento». De acordo com o ministro, uma das principais etapas para o desenvolvimento e exploração das possibilidades da nova economia no nosso país passa pela produção e disponibilização de conteúdos de interesse público, em vários canais e plataformas. O ministro da Ciência e da Tecnologia anunciou ainda a criação da Universidade Telemática em Portugal, bem como a implementação de duas medidas governamentais que pretendem personificam a vontade de apoiar o investimento nesta área, nomeadamente a avaliação regular dos endereços electrónicos da Administração Pública. O programa salientou igualmente o papel da publicidade dentro deste novo mundo. O executivo vai apostar na dinamização da publicidade na Internet, pelo que, «a partir deste Verão, a publicidade institucional do Estado vai estar também disponível neste suporte, contribuindo para que seja encarado como um verdadeiro meio de comunicação», concluiu.