Início Arquivo

EUA importam mais têxteis

As importações de vestuário dos EUA caíram quase 20% em novembro relativamente ao mês anterior, numa altura em que os retalhistas começaram a abrandar as suas compras de artigos para a época natalícia – de salientar que esse mês assinalou a primeira queda do Bangladesh. Os dados do Office of Textiles and Apparel (OTEXA), pertencente ao Departamento de Comércio americano, revelam que o volume de importações de vestuário foi 2,8% maior em novembro de 2013 comparativamente a igual mês de 2012, com um volume de 1,85 mil milhões de metros quadrados equivalentes (mqe). No entanto, este valor contrasta com os 2,3 mil milhões de mqe importados em outubro. Agosto, setembro e outubro são os meses em que é importada a maioria das mercadorias para a estação natalícia, evidenciando em 2013 crescimentos anuais homólogos de 5,5%, 2,0% e 4,8%, respetivamente. A China continua a ser o maior fornecedor de vestuário para os EUA, com as suas exportações a subirem 6,2% em termos homólogos para os 778 milhões de mqe em novembro, superando o volume importado em cada um dos três meses anteriores. Mas o Vietname, segundo maior fornecedor, também classificado como o que mais cresceu, registou uma subida anual de 16,9% para os 185 milhões de mqe. Este país tem vindo a ganhar relevância à medida que produtores e compradores diversificam as suas cadeias de aprovisionamento, deslocando parte da produção da China. O Vietname também está a ser impulsionado pelos benefícios esperados da proposta de Parceria Trans-Pacífico (TPP, do inglês “Trans-Pacific Partnership”), um acordo comercial que engloba outros países como o Canadá e os EUA. O Camboja também registou um excelente desempenho, com as suas exportações para os EUA a subirem 11,96% para os 78 milhões de mqe, apesar da agitação industrial provocada pelas baixas remunerações. No entanto, a Índia subiu apenas 1,3%, para os 62 milhões de mqe. Cinco dos 10 principais fornecedores de vestuário para os EUA viram as suas importações cair em novembro, entre os quais o destaque vai para o Bangladesh, o qual ocupa a terceira posição. As exportações do Bangladesh para os EUA caíram 2,2% para os 117 milhões de mqe durante o mês de novembro, a primeira queda desde que as questões de segurança nas fábricas vieram à superfície com o trágico colapso do edifício Rana Plaza em abril último. A desaceleração do crescimento foi vista pela primeira vez em setembro, mas os receios de uma desaceleração nas encomendas dos EUA pareciam ser infundados depois do país registar uma enorme subida de 42,5% nas vendas em outubro. Os declínios em novembro nas exportações de vestuário destinadas aos EUA também foram registados pela Indonésia (-9,3% para 86 milhões de mqe), Honduras (-7,4% para 87 milhões de mqe), El Salvador (-1,7 % para 56 milhões de mqe) e Paquistão (-15,3% para 47 milhões de mqe). No total, as importações de têxteis e vestuário para os EUA subiram 5,2% em termos anuais em novembro para os 4,452 mil milhões de mqe. Em termos de têxteis, as expedições subiram 6,97% durante o mês de novembro para os 2,6 mil milhões de mqe. Uma perspetiva mais ampla ao longo do ano mostra que o total das importações americanas de têxteis e vestuário foi 4,5% maior nos 11 meses até novembro. Comparado com o mesmo período do ano passado, atingiram os 52,26 mil milhões de mqe, com as importações de têxteis a subirem 4,05% para os 29,2 mil milhões de mqe e as importações de vestuário a subirem 5,09% para os 23,0 mil milhões de mqe. Os dados evidenciam que o volume das importações de vestuário dos EUA provenientes da China cresceu 4,9% nos primeiros 11 meses de 2013 para os 9,6 mil milhões de mqe. Embora os custos no país estejam a aumentar, estes estão a ser em grande parte compensados por ganhos de produtividade. O Vietname também está numa trajetória ascendente em termos do volume das importações, registando os maiores ganhos anuais até ao mês de novembro, com um aumento de 13,6% para os 2,24 mil milhões de mqe. Na terceira posição encontra-se o Bangladesh, com uma subida de 11,9% para os 1,59 mil milhões de mqe. Foram também registadas subidas na Indonésia (1,7% para 1,18 mil milhões de mqe), Camboja (3,3% para 991 milhões de mqe), México (0,75% para 845 milhões de mqe), Índia (5,8% para 826 milhões de mqe) e El Salvador (0,9% para 728 milhões de mqe). Ente os 10 principais fornecedores de vestuário para os EUA, apenas as Honduras e o Paquistão registaram quedas no acumulado do ano, caindo 4,2% para 984 milhões de mqe e 0,06% para 545 milhões de mqe, respetivamente.