Início Notícias Retalho

Euro não trava Inditex

Os números não são tão brilhantes como no passado, mas a Inditex continua a ter uma performance superior à dos seus pares. No primeiro trimestre do ano fiscal, o grupo que detém a Zara aumentou as vendas, o lucro e as margens, fintando um ambiente de retalho difícil e os efeitos negativos provocados por um euro forte.

Entre 1 de fevereiro e 30 de abril, as vendas do grupo espanhol cresceram 2%, para 5,7 mil milhões de euros, o que representa um novo recorde para o primeiro trimestre. Os números, contudo, poderiam ter sido melhores, não fossem os efeitos negativos do câmbio, já que, destaca a Inditex em comunicado publicado no seu website, «o período ficou marcado por significativas mudanças na taxa de câmbio, com um crescimento de 7% das vendas em moeda local».

Os lucros brutos de 851 milhões de euros superaram as expectativas dos analistas, segundo a Bloomberg, e as margens brutas aumentaram de 58,2% para 58,9%, depois de terem atingido o valor mais baixo numa década no ano passado. Em termos líquidos, o lucro aumentou também 2%, para 668 milhões de euros.

«A grande surpresa e a razão pela qual os números são melhores do que o esperado é que a margem bruta aumentou», explica Charles Allen, analista da Bloomberg Intelligence.

Durante os três meses, a Inditex continuou a alastrar a sua presença mundial, com a abertura de novos pontos de venda em 36 mercados – a retalhista espanhola conta agora com 7.448 lojas. Em destaque continua a aposta no comércio eletrónico (ver Online catapulta Inditex), com o lançamento online da Zara na Austrália e na Nova Zelândia.

Segundo afirma, em comunicado, o CEO Pablo Isla, «a força do modelo integrado das lojas e online, impulsionado pela continuação da inovação, está a gerar um crescimento sólido e uma notável criação de emprego».

A Inditex lançou uma onda de novas tecnologias em lojas Zara selecionadas em todo o mundo nos últimos meses, incluindo realidade aumentada em 130 flagships e hologramas, seguindo a estratégia de esbater as fronteiras entre as operações físicas e online. Com a app de realidade aumentada da Zara, um consumidor pode ver imagens em movimento dos modelos com a mais recente coleção quando aponta o smartphone para a monta de uma loja. Uma nova concept store aberta no Reino Unido usa braços robóticos para entregar as encomendas online aos clientes (ver Zara inaugura nova era no retalho).

As vendas nas primeiras seis semanas do segundo semestre foram mais robustas, com um aumento de 9% em moeda local, graças à procura por parte dos consumidores das coleções de verão, incluindo as saias maxi compridas e os vestidos de linho da Zara (ver Zara, a chita do retalho).

A Inditex planeia agora começar as operações num novo centro de distribuição de 90 mil metros quadrados próximo da sua sede em Arteixo e está a trabalhar num novo centro logístico na Holanda. No total, esses investimentos deverão ultrapassar os 150 milhões de euros, segundo aponta a empresa espanhola.