Início Arquivo

Euro também paga marcas inglesas

O Reino Unido não faz parte da zona euro mas desde o início do ano grandes cadeias de lojas inglesas, com a Marks & Spencer no topo, decidiram aceitar a nova moeda europeia. O euro é aceite em todos os pontos de venda turísticos como Oxford Street, a principal avenida comercial no coração de Londres. «Com os euros, os espanhóis, os franceses ou os alemães de passagem poderão pagar mais facilmente na nossa loja», explica o responsável das caixas de um dos dois M&S da Oxford Street. Mas esta medida deverá ainda satisfazer os clientes locais. Os britânicos efectuam por ano cerca de 40 milhões de visitas à Europa. «Eu viajo muito para os outros países europeus. De cada vez que vou, chego com notas e não sei o que lhes fazer. De hoje em diante, eu posso utilizá-las nas minhas compras», afirma uma das clientes britânicas da M&S da Oxford Street. Segundo um estudo do jornal The Guardian, mais de um terço das grandes cadeias britânicas de distribuição admitem parcialmente os pagamentos em euros. Uma decisão tomada sem que nenhuma obrigação fosse imposta a estes grupos. «É um serviço prestado ao público», explicam eles. Assim, a Marks & Spencer prevê que num mês uma caixa por andar em cerca de trinta das suas lojas, aceitem euros. Outras lojas, fora do sector de vestuário, mostram-se mais ambiciosas: por exemplo, todas as caixas das 87 lojas da Virgin poderão receber euros. A moeda será devolvida em libras. Algumas lojas de luxo como a Paul Smith, Burberry ou Prada, vão permitir igualmente este tipo de pagamento. A Selfridges, a grande loja da Oxford Street, também irá admitir os euros. «As nossas caixas já aceitam uma dezena de moedas estrangeiras. É só mais uma», afirma o porta-voz da loja. No entanto, John Lewis, uma outra grande loja da Oxford Street, decidiu não aceitar o euro. «Ele não terá grande procura. A maior parte dos turistas pagam com os cartões de crédito», explica o seu porta-voz. Outras lojas, mesmo fazendo parte de cadeias europeias, também recusarão os euros, como é o caso na Regent Street da espanhola Zara ou da francesa Aigle. A Gap não permitirá tais transacções. Outras, como a Next só aceitarão os euros nas lojas dos aeroportos. «Mas nós estudaremos a possibilidade de estender esta excepção às lojas situadas em zonas turísticas», assegura um porta-voz da Next. Quanto à Benetton, «a cadeia provavelmente aceitará o euro, mas isso ainda não está decidido».