Início Notícias Têxtil

Evo Fabrics regressa aos Descobrimentos

Dirigindo-se ao mercado de alta decoração e de exportação, a EVO Fabrics procura levar o made in Portugal ao resto do mundo, transmitindo o gosto e a criatividade nacionais. À imagem do bom português, a tradição mantém-se e, este ano, a marca apresenta a coleção Madeira, inspirada nos 600 anos de história da ilha.

Jorge Antunes

«[A ilha da Madeira] continua tão bela que para criar uma coleção a ela dedicada não é preciso fonte de inspiração, basta apenas deixar todos os sentidos serem envolvidos pela beleza, suas gentes, suas tradições e sabores». É assim que a marca própria da Damaceno & Antunes apresenta a nova coleção, inspirada na Pérola do Atlântico, que celebrou, em 2019, 600 anos da sua descoberta pelos navegadores portugueses.

«A coleção Madeira é o nosso tributo à ilha da Madeira e aos seus 600 anos [de história], em que devolvemos uma série de artigos com o design, com o sentimento, com as cores deste lugar e, a partir daqui, apresentamos aos nossos distribuidores e aos nossos clientes internacionais», revela Jorge Antunes, CEO da Damaceno & Antunes, ao Portugal Têxtil.

Materializando-se sob a forma de produtos de alta decoração, onde se incluem almofadas, papel de parede e têxteis para poufs, sofás e cadeiras, a nova linha está pensada «primeiro, para o mercado nacional e para um gosto muito mediterrâneo», neste caso, Espanha, França e sul de Itália, acrescenta. «Para quem gosta de cor está perfeitamente à vontade com as nossas coleções. Em países mais sóbrios, mais clássicos, temos um pouco de dificuldade na introdução [deste estilo] mas obviamente haverá sempre alguns artigos que se encaixam perfeitamente nesses gostos», aponta o CEO.

Lançada em 2007, a Evo Fabrics nasce como uma «“Evo”lução das marcas que já editávamos e distribuíamos com forte presença no mercado nacional», descreve a empresa-mãe na sua plataforma online. Para além do segmento dos tecidos, a Damaceno & Antunes integra ainda, dentro da marca própria, as linhas EvoWall, Inorout, Senses, Natura e Easylife, que incluem vários artigos de decoração, desde o papel de parede aos produtos naturais livres de reagentes químicos.

De Portugal para todo o mundo

Com uma mão de obra que soma 14 trabalhadores, a Damaceno & Antunes é responsável por «desenhar, mandar produzir, manter o stock e, a partir daí, trabalhar o corte para Portugal e para todo o mundo», explica o CEO.

Os mercados são maioritariamente Espanha e França, mas também Holanda, Grécia, Estónia, Letónia, Ásia e Médio Oriente. A taxa de exportação de 15% reflete o nacionalismo inerente à empresa que procura expandir o estilo português pelo mercado internacional. «[Os países asiáticos] gostam da nossa apresentação. Alguns produtos quase que são feitos nessa zona, mas vindo para cá e sendo misturados, sendo coordenados, sendo desenvolvidos juntamente com as nossas coleções, acabam depois por chegar a esses mercados com outro aspeto e outra aparência e nós estamos cada vez mais a conquistar esses países», reforça o CEO.

A Damaceno & Antunes fechou o ano 2019 com um volume de faturação de 2,5 milhões de euros, o que significa uma taxa de crescimento de cerca de 5%. «Aumentamos as vendas, mas não tanto como estávamos a contar», confessa Jorge Antunes. Durante o ano passado, a empresa ressentiu-se com a estagnação da economia global, provocada por um período de «crise que atingiu Portugal e o mundo», acrescenta.

Agora, o CEO espera que as condições «fiquem mais estabilizadas», mas prefere não avançar com possíveis resultados. «Prognósticos só no final do jogo», sublinha. «Nunca se sabe o que vai acontecer», mas «o nosso desafio é apresentar artigos bonitos aos nossos clientes, ter um bom serviço, ter bons colaboradores e tentar manter esse nível», conclui.