Início Arquivo

Evolução dos Compósitos até 2007

O mercado global de compósitos avançados consome um pouco acima das 140.000 toneladas por ano de fibras para reforço (carbono, aramida, polietileno de alto módulo, boro e fibras de vidro do tipo R/S/T/E), abrangendo um valor combinado de 900 a 1.000 milhões de dólares (775 a 860 milhões de euros). O crescimento previsto na utilização de materiais compósitos para os próximos 5 anos, vai aumentar a procura por este tipo de fibras de reforço para as 180.000 toneladas por ano, apesar do seu valor aumentar apenas para os 1,2 mil milhões de dólares (mil milhões de euros) em valor presente. A razão para a disparidade entre o crescimento do volume e o do preço, deve-se ao contínuo decréscimo previsto no custo das fibras de carbono, o que poderá originar a utilização em massa de compósitos avançados em mercados de grande consumo, como as infraestruturas (um exemplo de aplicação nesta área, pode ser encontrado na notícia do PT). Estes dados estão de acordo com o relatório The Advanced Composites Industry – Global Markets, Technology Trends and Applications 2002-2007 publicado pelo Materials Technology Publications, do Reino Unido. O relatório analisa o actual estado do mercado e avalia as perspectivas de crescimento até 2007 para cada um dos principais tipos de compósitos. Os compósitos com reforço de fibras naturais e os nano-compósitos são também analisados. O relatório fornece ainda informação de mercado nos principais materiais de reforço e matrizes de polímeros, fornecendo informação sobre capacidades de produção, gamas de produtos e estratégias de produtores, para além de outra informação. Alguns dos resultados do relatório incluem: O mercado mundial para fibras de carbono mais que duplicou desde 1998 e a capacidade de produção excede actualmente as 30.000 toneladas por ano; A procura por produtos que incorporam fibras de aramida e de polietileno de alto módulo, está a crescer rapidamente, em especial na utilização de compósitos para aplicações anti-balísticas usadas na protecção de pessoas e veículos; O mercado para os compósitos de carbono-carbono possui um volume reduzido e apresenta-se como um nicho de mercado com elevado valor acrescentado, estimado em 1,1 mil milhões de dólares (0,93 mil milhões de euros). A utilização nos travões de aviões é a principal área de aplicação, com cerca de 2/3 do volume do mercado; O consumo de matrizes termoplásticas está a crescer a mais do dobro da taxa verificada nas termoendurecíveis, representando em algumas aplicações 30% do total; Os compósitos avançados, em especial os que incorporam fibras de carbono, continuam a ser cada vez mais utilizados no mercado das estruturas aeronáuticas, com os principais construtores (Boeing e Airbus) a manterem previsões muito positivas para os requisitos dos novos aviões ao longo dos próximos 15 a 20 anos; No sector automóvel, os materiais termoplásticos reforçados continuam a entrar no mercado, mas a comercialização em massa de compostos de folhas de fibras de carbono ainda não está suficientemente desenvolvida. No entanto, ainda existem aplicações, actuais e potenciais, para compósitos avançados na carroçaria de automóveis desportivos, células de combustível, tanques de combustível e outros nichos de aplicação; Os mercados de energias renováveis, em especial a energia eólica, oferecem um potencial crescimento para compósitos avançados (com a aplicação de carbono ou fibra de vidro); As aplicações industriais estão previstas representar 60% da fatia de mercado em 2007; O ritmo de desenvolvimento nas aplicações de desporto e lazer diminuiu, não existindo perspectivas de um crescimento futuro. O relatório avalia o panorama mundial, com as perspectivas de crescimento até 2007, repartidas por região (América do Norte, Europa, Ásia Pacífico e outras), e por utilização final por sector (aeroespacial, automóvel, industrial, desporto e lazer, infraestrutura/edifícios e construção, defesa, turbinas de vento, transporte, células de combustível, etc.). São ainda identificados os principais produtores e fornecedores de compósitos avançados, assim como de materiais de reforço e matrizes, sendo feita referência ao seu desempenho financeiro e às estratégias de desenvolvimento.