Início Arquivo

Exemplar único

A Artur S. Martins & Filhos (ASM) é a única empresa portuguesa na IMB 2006. À imagem de Artur Martins, fundador da empresa, esta participação mostra um espírito de luta, que para alguns, tendo em conta a conjuntura do sector da confecção, até pode parecer estranha, e caracteriza, em grande medida, o homem que, quando quer algo, “vai à luta”. A ASM, sedeada na Maia, fabrica as mais variadas linhas de aparelhos que asseguram e melhoram a performance de todo o tipo de máquinas de costura, à medida das necessidades de cada cliente, como pullers, máquinas de cortar e virar colarinhos, empilhadores de tecidos, máquinas de cortar passadores no interior, máquinas de meter molas, aparelhos para vincar carcelas de camisas, …..«Sempre primámos por associar a robustez ao mais moderno design e à melhor qualidade», afirmou Artur Martins ao Portugal Têxtil (PT). Mas afinal, o que é que a participação da ASM na IMB 2006 tem de especial? Em primeiro lugar, além de ser a única empresa nacional a expor, representa um sector com muito poucas tradições em Portugal. Em segundo, a dimensão da empresa. Com apenas três funcionários, Artur Martins e os seus dois filhos, a ASM surgiu numa garagem, em 1979, e deve a sua origem a um então já experiente mecânico de máquinas de costura, para quem estes equipamentos já não apresentavam segredos. «Fiquei com vontade de avançar para um negócio meu e avancei. Conciliei os conhecimentos que tinha, e o projecto da ASM era um desafio em que acreditava: desenvolver equipamentos “made in Portugal”, referência da qual eu não abdico em todas as peças que saem desta empresa», afirmou o dono da empresa ao PT. Por último, apresenta uma nova perspectiva da estratégia da empresa, uma espécie de “renascimento”, que visa a aposta na exportação, o alargamento dos mercados, tendo em conta o «emagrecimento do sector da confecção em Portugal. Ou começamos a apostar forte na exportação dos nossos serviços, e não há veículo melhor para isso do que a IMB, ou então, fechamos as portas. E nós, eu e os meus filhos, como somos um bocadinho ambiciosos, não estamos dispostos a desistir tão facilmente. Temos de “desbravar” caminho para outros segmentos de mercado» A empresa, nas palavras de Artur Martins, «sempre apostou na inovação. Nunca estivemos parados. Viajamos muito, vamos às principais feiras internacionais, os meus filhos tiveram uma formação bastante abrangente, desde o design industrial até à mecânica, passando pelo estudo de línguas estrangeiras. No meio de tudo isto, a ligação com os representantes nacionais, como a MCI, a ligação com grandes multinacionais, como a Paff, e o trabalho “no terreno”, nas empresas de confecção esteve por trás da ascensão da empresa. «Esperamos que esta experiência, a participação num evento tão importante como a IMB, que comporta custos bastante elevados, suportados na totalidade por nós, apesar de termos tentado por todos os meios obter algum apoio do estado ou das associações, nos dê fôlego para que a ASM inicie uma nova etapa. Esperamos que em Maio, após a feira, possamos fazer um balanço positivo, dizendo ao PT que o esforço e até, posso dizer, audácia, valeu a pena». Lembramos que a IMB 2006 terá lugar em Colónia, de 10 a 13 de Maio. Esta feira, que se realiza de três em três anos, é considerada, a nível mundial, como a feira mais importante para o sector de máquinas, equipamentos e serviços para a indústria do vestuário.