Início Notícias Gerais

Exportações a bom ritmo

As exportações portuguesas de têxteis e vestuário continuam a registar uma evolução positiva, com os cinco primeiros meses do ano a permitirem já ultrapassar os dois milhões de euros, um resultado 1,9% superior ao verificado no mesmo período do ano passado.

De acordo com a informação veiculada pela ATP – Associação Têxtil e Vestuário de Portugal, tendo por base os dados provisórios do INE, o maior crescimento por grandes categorias registou-se nos têxteis-lar e outros artigos têxteis confecionados (+5,7%, para 272,1 milhões de euros), seguindo-se o vestuário (+1,4%, para cerca de 1,19 mil milhões de euros) e os têxteis (+1,3%, para 543,6 milhões de euros).

De acordo com Paulo Vaz, diretor-geral da ATP, o destaque vai «para as exportações de artigos têxteis para o lar, em particular de tapetes e outros revestimentos, as quais registaram um crescimento de 18% no período. As exportações de filamentos sintéticos ou artificiais cresceram 13% e as de vestuário e acessórios em malha 7%», sublinha em comunicado. A União Europeia mantém-se como o principal destino das exportações nacionais do sector, com um peso de 83,1%, equivalente a 1,66 mil milhões de euros, uma quota reforçada por um crescimento de 2,5% no período entre janeiro e maio de 2015.

«Espanha reforça a sua hegemonia na tabela dos principais destinos das exportações da ITV, sendo o país que regista maior crescimento absoluto», indica Paulo Vaz, que aponta ainda que «as exportações para os EUA crescem 29% e para o Canadá 16%, encontrando-se estes dois destinos entre os que mais cresceram em termos absolutos. Destaque ainda para o crescimento registado nas exportações para a Argentina: 195%».

O top cinco dos principais clientes da indústria têxtil e vestuário mantém-se inalterado face a abril, sendo ocupado, respetivamente, por Espanha, França, Reino Unido, Alemanha e EUA, embora Espanha (de 32,1% para 32,5%) e os EUA (de 5,8% para 5,9%) tenham reforçado a sua quota no mês de maio. Também as importações registaram uma evolução positiva nos primeiros cinco meses do ano, com um crescimento de 4,3% em comparação com o mesmo período de 2014, para 1,53 milhões de euros. Os têxteis-lar e outros artigos têxteis confecionados foram a categoria que registou maior crescimento (+12,4%, para 85,9 milhões de euros), embora o vestuário (+6,3%, para 740 milhões de euros) represente a maior parte das importações do sector.

Tal como nas exportações, Espanha continua a ser o principal parceiro de Portugal no que concerne as importações, tendo mesmo registado um crescimento de 13,3%, para 555,5 milhões de euros, face a igual período de 2014. As importações provenientes de “nuestros hermanos” tiveram o maior crescimento absoluto, seguidas dos envios por parte da Turquia, Croácia, Paquistão e Países Baixos. Os nossos vizinhos mantêm-se, assim, na liderança do ranking dos principais fornecedores, estando atualmente na origem de 36,3% das importações do sector têxtil e vestuário, à frente de Itália (11,5%), Alemanha (7,2%), França (7,2%) e China (5,3%). Tendo em conta estes números, «o saldo da balança comercial da ITV é agora de 470 milhões de euros, correspondente a uma cobertura de 1,3», conclui o diretor-geral da ATP.