Início Destaques

Exportações aceleram em maio

Nos primeiros cinco meses do ano, o comércio internacional de vestuário atingiu 1,28 mil milhões de euros, mantendo a tendência de crescimento que se prolonga desde o início do ano. A categoria de vestuário em malha foi a grande impulsionadora do aumento das exportações do sector.

O incremento de quase 100 milhões de euros nas exportações das empresas portuguesas de vestuário face ao período homólogo de 2015 resultou de um crescimento (+9,4%) nos envios para os países da UE a 28, destaca, em comunicado, a ANIVEC.

A tendência foi positiva na quase totalidade dos 10 principais mercados do vestuário nacional, com destaque para Espanha (+17,9%), Suécia (+14,8%), Bélgica (+9,2%) Itália (+8,9%), Áustria (+8%) e Países Baixos (+7,4%).

Fora da União Europeia, os EUA estão a aumentar as suas compras à indústria portuguesa de vestuário, com uma subida de 4,6%. Destaque ainda para o crescimento de 117,9% das exportações para a Arábia Saudita e de 87,1% para a República Checa.

Para o presidente da direção da ANIVEC, César Araújo, «estes números mostram que o vestuário mantém o seu papel de impulsionador do comércio externo português. A qualidade do “made in Portugal” e a competitividade das empresas nacionais, que conjugam serviço e rapidez de resposta, estão a ganhar cada vez mais respeito, e procura, junto dos clientes internacionais».

Por categoria, as exportações de vestuário e seus acessórios em malha registou um crescimento de 12,74%, para 868,4 milhões de euros, enquanto o valor representado pelo vestuário e seus acessórios, exceto malha, permaneceu praticamente inalterado (-0,1%), em 411,9 milhões de euros.

No total, o sector têxtil e vestuário registou um aumento de 5,85% das exportações, para 2,12 mil milhões de euros. Os dados avançados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) revelam ainda que, entre as principais categorias, as exportações de outros artefactos têxteis, onde se incluem a maioria dos têxteis-lar, cresceram 2,47% no período, para 411,9 milhões de euros, e as de pastas, feltros e cordoaria subiram 1,37%, para 116,2 milhões de euros. Os tecidos especiais e tufados, rendas, tapeçarias e bordados registaram um aumento de 12,25%, para 96,8 milhões de euros, e os tecidos em malha incrementaram em 4,83% as exportações, para 62,1 milhões de euros.

As importações do sector, por seu lado, aumentaram 4,05%, para 1,58 mil milhões de euros, graças ao impulso de categorias como tapetes e outros revestimentos para pavimentos (+15,3%) e tecidos de malha (+14,3%).

A balança comercial do sector registou um saldo positivo de cerca de 532 milhões de euros.