Início Notícias Vestuário

Exportações animam CPM

A feira moscovita de moda CPM abre as portas no próximo dia 25 de fevereiro sob o signo do otimismo. A recuperação do mercado russo e o aumento da procura por marcas europeias está a alimentar as expectativas de uma edição repleta de negócios para as cerca de 1.370 marcas presentes, quatro das quais portuguesas.

Dividida entre os segmentos CPM Premium, CPM Body & Beach – alargado com o conceito CPM Body & Beach Fabrics –, CPM Accessories & Shoes, CPM Handmade e CPM Kids’ Corner, a próxima edição da CPM, que decorre de 25 a 28 de fevereiro, deverá “correr sob rodas”, numa altura em que o mercado russo de moda está em expansão.

Depois de cinco anos em queda, o mercado de moda russo voltou a crescer em 2018. «Felizmente, o desenvolvimento das exportações de vestuário dos 28 países membros da União Europeia para a Rússia voltaram a crescer em 4%, para uns impressionantes 1,84 mil milhões de euros. Esta tendência positiva de crescimento acima da média das exportações mostra quanto potencial tem o mercado de comércio de moda da Rússia para as marcas europeus, que podem mais uma vez aumentar a sua posição – também na CPM – de uma forma muito direcionada», afirma Thomas Stenzel, diretor-geral da OOO Messe Düsseldorf Moscow, que organiza o certame.

Entre os principais países exportadores de vestuário para a Rússia está a Alemanha, com um valor de 384 milhões de euros. Os germânicos aumentaram as vendas sobretudo de vestuário exterior para senhora, cujas exportações aumentaram 20% para 184 milhões de euros, seguido de roupa interior e swimwear (+19%, para 37 milhões de euros). Na feira moscovita, os alemães terão um pavilhão “Made in Germany” com mais de 4.000 metros quadrados e cerca de 100 expositores, incluindo as marcas Brax, Comma, Gardeur, Jacques Britt, Ladyset, Lerros, Mode Monte Carlo, Olymp, Otto Kern e Unique Selected.

Itália, contudo, é a grande referência na moda para os russos, que aumentaram as suas compras no país transalpino para 678 milhões de euros – o equivalente a 45% de todas as exportações de moda da UE para a Rússia. No total, estarão na CPM 130 marcas italianas de vestuário de senhora, homem e criança e de acessórios, entre as quais se contam a Antonella, Florence Mode, Gualtiero, Havana & Co., Pennyblack, Florens Shoes, Miss-Baby Blumarine Shoes, Alessandro Gherardi, Amina Rubinacci e Byblos.

Espanha surge no terceiro lugar dos mercados da UE que mais exportam para a Rússia, tendo aumentado os envios em 3%, para 251 milhões de euros. Anna Mora/Brunella, Bijoux Indiscrets, Escorpion, Gisela, Gretty Zueger, Massana, Promise, Punto Blanco e Ysabel Mora são as marcas representadas na feira de Moscovo.

Já as exportações portuguesas para a Rússia, incluindo têxteis, vestuário e calçado, ascenderam, em 2018, a 36,3 milhões de euros, dos quais 27,8 milhões de euros dizem respeito a calçado e 2,47 milhões de euros a vestuário. A lista de marcas portuguesas que estão a investir no mercado com uma presença nesta edição da CPM inclui a Beppi, a Blackspider, a Cristina Barros e a Davion.

Moda modesta em estreia

Entre as novidades desta edição da CPM está a nova divisão Modest Fashion, criada em parceria com a Modest Russia e o Council of Modest Fashion. «De acordo com a análise de várias agências de pesquisa internacionais, esta tendência relativamente nova mas a ganhar rapidamente força no mundo da moda e dos negócios, promovida sobretudo pela chamada Geração M (millennials muçulmanos), está a conquistar mais público, indo além das tendências religiosas, culturais, sociais ou políticas», destaca a organização em comunicado, lembrando que marcas como a Uniqlo, a H&M, a Dolce & Gabbana e a Max Mara já produzem coleções cápsula neste âmbito.

Além da exposição, haverá um painel no Russian Fashion Retail Forum, no dia 27 de fevereiro, onde Dilyara Sadrieva, analista e investigadora da indústria de moda modesta e cofundadora da plataforma Modest Russia, irá falar sobre as características do consumidor de moda modesta e as perspetivas desta nova tendência para o mercado russo.

O Russian Fashion Retail Forum inclui ainda apresentações do WGSN sobre tendências e uma intervenção sobre “Orientação do consumidor e personalização como tendências-chave do mercado de moda russo em 2019”.