Início Arquivo

Exportações caem menos

As exportações da Indústria Têxtil e do Vestuário (ITV) nacional têm evidenciado um abrandamento do ritmo de queda ao longo do ano. De facto, de acordo com os últimos dados disponíveis, no primeiro semestre as exportações registaram uma contracção homóloga de 9,5% (1) enquanto que no final do terceiro trimestre as estatísticas denotam uma redução de 7,7% face ao período homólogo de 2004.

Nos primeiros nove meses de 2005 foram exportados 3.095 milhões de euros que compara com os 3.353 milhões exportados no período homólogo do ano transacto. Esta evolução reflectiu o contributo do sector do vestuário que no período em análise registou uma redução homóloga de 9,4% nas exportações, dada a contracção de 12,0% assinalada pelo vestuário de malha.

O sector têxtil, por outro lado assinalou um desempenho mais favorável, contudo manteve-se também em terreno negativo. Destacam-se, mais uma vez, as exportações dos tecidos especiais com um aumento homólogo de 25,3%, dos tecidos impregnados com um aumento de 10,4% e dos tecidos de malha com 9,5%. De referir que estas três categorias de tecidos representam já 13,8% das exportações de artigos têxteis nacionais.

No que respeita às importações, os dados do Observatório Têxtil do CENESTAP apontam para um total importado de 2.248 milhões de euros nos primeiros 9 meses de 2005, correspondendo a uma redução homóloga de 5,8% face ao ano passado.

Contrariamente às exportações, nas importações é o sector têxtil que mais pressiona o indicador no sentido da baixa. Nos três primeiros trimestres do ano, as importações de artigos têxteis caíram 8,6%, enquanto as entradas de vestuário se reduziram em 1,9%. Esta variação do vestuário traduz o aumento das importações de vestuário de tecido de 3,6% mais que compensado pela redução de 7,1% das importações dos artigos de malha.

Tendo em conta as variações descritas, a Balança Comercial da ITV fixou-se 846,9 milhões de euros, menos 12,4% que no período homólogo de 2005.

 

(1) Este valor difere do apresentado no Relatório Semestral de 2005 devido a actualizações efectuadas nos dados disponíveis na altura.