Início Arquivo

Exportações da ITV decresceram 3,7% em 2002

As exportações da Indústria Têxtil e de Vestuário (ITV) portuguesa decresceram 3,7% em 2002, atingindo, segundo estimativas do Observatório Têxtil do CENESTAP, 4.885 milhões de euros. Quer o sector têxtil quer o de vestuário contribuíram para esta variação, já que no primeiro a redução foi de 3,6% e no segundo de 3,8%. No sector têxtil, merece referência a diminuição das exportações de Tecidos de malha (-22,5%), que registou a queda mais acentuada, e das transferências de Tecidos Impregnados (-19,2%). Note-se que esta última categoria de produtos registou, no ano anterior, um aumento significativo das exportações (+68,5%). Em sentido inverso, destaca-se o crescimento das Outras fibras têxteis (+32,2%), Tapetes e outros revestimentos (+26,8%) e Tecidos especiais e tufados (+16,4%), embora tenham uma representatividade bastante diminuta na totalidade das exportações da ITV nacional, já que correspondem, conjuntamente, 2,2% desse total. No vestuário, tanto os artigos de malha como não malha contribuíram para a redução das exportações deste sector, com especial relevância para os produtos não malha que registaram uma diminuição de 7,3%. As importações da ITV diminuíram 3,0% em 2002, tendo atingido, segundo estimativas do Observatório Têxtil do CENESTAP, 3.209 milhões de euros. O sector têxtil apresentou um comportamento oposto ao de vestuário, já que no primeiro as importações decresceram 8,1%, enquanto que no segundo assistiu-se a um aumento significativo (+8,2%); As variações descritas implicam uma deterioração da Balança Comercial da ITV (-5,1%), fixando-se o saldo comercial em 1.675 milhões de euros. A taxa de cobertura das importações pelas exportações atingiu 152,2%, menos 1,2 pontos face a 2001. A análise está disponível em www.portugaltextil.com