Início Notícias Mercados

Exportações da ITV somam mais €20 milhões

As empresas da indústria têxtil e vestuário aumentaram as exportações nos primeiros cinco meses de 2019 face ao mesmo período do ano passado. Vestuário em tecido, pastas, feltros e falsos tecidos, fibras sintéticas ou artificias descontínuas e tecidos de malha são os grandes impulsionadores do crescimento.

Os números avançados hoje pelo INE – Instituto Nacional de Estatística revelam que as exportações de matérias têxteis e suas obras aumentaram 0,9% no total acumulado entre janeiro e maio face ao período homólogo de 2018, para um total de 2,27 mil milhões de euros.

O crescimento mais acentuado foi sentido, em termos absolutos, no vestuário e seus acessórios, exceto de malha, com mais 18,9 milhões de euros de vendas no período, equivalente a um incremento de 4,7%. Segue-se a categoria pastas (ouates), feltros e falsos tecidos, que inclui também artigos de cordoaria, que somou mais 14,7 milhões de euros (+12,6%), as fibras sintéticas ou artificias descontínuas (+5,6%, equivalente a mais 6,6 milhões de euros) e os tecidos em malha, com um crescimento absoluto de 5,6 milhões de euros, correspondente a um incremento de 9,1%.

Em sentido contrário, contudo, foram sentidas quedas mais acentuadas nas exportações de lã (-13%), algodão (-10%) e filamentos sintéticos ou artificiais (-9,7%), que, em conjunto, representam menos 15,6 milhões de euros de vendas. Em termos absolutos, destaca-se ainda a redução de 8,2 milhões de euros nas vendas ao exterior de vestuário e seus acessórios de malha, e de cerca de 4 milhões de euros de outros artefactos têxteis confecionados, que incluem a maior parte dos têxteis-lar.

Extra-UE mais forte

Os envios para os mercados fora da União Europeia foram os principais motores do crescimento das exportações entre janeiro e maio. Em termos absolutos, o mercado europeu representou uma perda ligeiramente superior a 20 milhões de euros (-1,1%), que foi compensada com um aumento de 40,2 milhões de euros do extraeuropeu (+10,8%).

Entre os 20 maiores mercados de exportação de Portugal, e tendo em conta apenas os extraeuropeus, o maior crescimento foi sentido nos EUA, tanto em termos relativos (+17,4%), como absolutos (mais 20 milhões de euros). Seguiu-se o Canadá, com um aumento de 26,4% das compras a Portugal, que corresponde a mais 4,8 milhões de euros, somando um total de 23,1 milhões de euros. Fora da Europa registou-se igualmente um incremento nos envios para Angola (+12,3%, para 16,8 milhões de euros), Marrocos (+9,3%, para15,5 milhões de euros) e Turquia (+12,1%, para 13,1 milhões de euros).

Dentro da Europa, o panorama é menos positivo. Entre os 10 maiores mercados europeus, apenas Itália (+5,8%) e Países Baixos (+6,7%) registaram crescimentos significativos. Praticamente todos os restantes, com exceção da Dinamarca (+0,5%), caíram, incluindo o top 3: Espanha (-3,1); França (-0,4%); e Alemanha (-2,5%).