Início Notícias Vestuário

Exportações de vestuário crescem 6,6%

De janeiro a julho, o comércio internacional de vestuário totalizou 1,86 mil milhões de euros, mantendo um forte ritmo de crescimento que, segundo a ANIVEC, abre boas perspetivas para o corrente ano. No conjunto, as exportações de têxteis e vestuário aumentaram 5%.

As exportações de vestuário representaram mais de metade das exportações do sector, que no total atingiram 3,06 mil milhões de euros. Em comparação com o período de janeiro a julho de 2015, as exportações de vestuário aumentaram mais de 110 milhões de euros, um crescimento impulsionado pelos envios para a União Europeia (+7,2%).

A procura pela moda “made in Portugal” subiu em quase todos os 10 principais mercados (exceção feita a França, que registou uma queda de 1,6%), com destaque para a Suécia (+27,2%), Itália (+15,9%) e Espanha (+12,4%), assim como, nos mercados extracomunitários, para os EUA (+6,9%).

César Araújo, presidente da direção da ANIVEC – Associação Nacional das Indústrias de Vestuário e Confecção, afirma que «os números mostram a força do know-how português na confeção de vestuário, com a etiqueta “made in Portugal” a ser cada vez mais reconhecida nos mercados internacionais».

Para além dos países tradicionais, o vestuário português está a abrir novos mercados, como prova a Arábia Saudita, para onde as exportações subiram 99,5% nos primeiros sete meses do ano. «As oportunidades que estão a surgir noutras regiões do globo são um ótimo indicador para a indústria de vestuário nacional e, em conjunto com o crescimento nos mercados onde as empresas portuguesas estão já estabelecidas, abrem perspetivas de que o crescimento se mantenha nos restantes meses de 2016», antevê César Araújo.

Os números publicados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) dão ainda conta de um crescimento nas exportações de artigos de algodão (+21,3%, para 102 milhões de euros), tecidos especiais (+14,5%, para 67,2 milhões de euros), tecidos de malha (+7,5%, para 86,8 milhões de euros) e tapetes e outros revestimentos para pavimentos (+5,3%, para 48,1 milhões de euros).

As importações, por seu lado, registaram igualmente um crescimento (+2,9%), rondando os 2,25 mil milhões de euros no período de janeiro a julho de 2016.

A balança comercial do sector têxtil e vestuário manteve-se, assim, positiva, com um saldo de 812,8 milhões de euros no final de julho.