Início Notícias Mercados

Exportações e importações nacionais disparam

As exportações portuguesas de bens aumentaram, em maio, 40,6% e as importações subiram 46,4% comparativamente com o mesmo mês do ano passado. Estas variações foram impulsionadas pelo aumento de preços, divulgou hoje o INE.

[©Unplash/Pat Whelen]

«Em maio de 2022, as exportações e as importações de bens registaram variações homólogas nominais de +40,6% e +46,4%, respetivamente (+16,8% e +29,1%, pela mesma ordem, em abril de 2022)», apontam as estatísticas do comércio internacional do Instituto Nacional de Estatística (INE), divulgadas pela Lusa. Segundo o INE, «cerca de metade destas variações traduzem crescimento de preços: os índices de valor unitário (preços) registaram variações homólogas de +17,2% nas exportações e +24,3% nas importações».

Ainda em termos nominais, destacam-se os acréscimos nas exportações e importações de “fornecimentos industriais” (+60,3% e +38,6%, respetivamente), «generalizados a vários grupos de produtos, mas com especial incidência nas exportações de produtos farmacêuticos».

As importações de “combustíveis e lubrificantes” também registaram «um aumento muito significativo (+147,8%), refletindo a subida do preço destes produtos no mercado internacional, mas também em resultado da introdução no mercado de gás natural previamente sujeito ao regime de entreposto aduaneiro, com vista ao encerramento do entreposto em Sines».

Excluindo “combustíveis e lubrificantes”, em maio de 2022 registaram-se aumentos de 35,3% nas exportações e 34,4% nas importações, em termos homólogos (+12,6% e +18,5% em abril de 2022, respetivamente).

Os índices de valor unitário (preços) excluindo os produtos petrolíferos registaram variações homólogas de +12,9% nas exportações e +15,2% nas importações.

Relativamente ao mês anterior, em maio de 2022 as exportações e as importações aumentaram 19,9% e 13,7%, respetivamente (-5,6% e -4,1% em abril de 2022, pela mesma ordem).

No mês em análise, o défice da balança comercial atingiu 2.421 milhões de euros, o que representa um aumento de 976 milhões de euros face ao mesmo mês de 2021 e uma diminuição de 47 milhões de euros face ao mês anterior.

Excluindo “combustíveis e lubrificantes”, em maio de 2022 o défice da balança comercial totalizou 1.300 milhões de euros, correspondente a um aumento em 296 milhões de euros face a maio de 2021, apontou o INE.

Em maio de 2022, tendo em conta os principais países parceiros em 2021, salienta-se o aumento das transações com Espanha (+32,3% nas exportações e +39,0% nas importações), sobretudo de “fornecimentos industriais” em ambos os fluxos, e também nas importações de “combustíveis e lubrificantes”.

O INE aponta ainda o acréscimo das exportações para os Estados Unidos (+180,0%), maioritariamente fornecimentos industriais, com especial incidência nos produtos farmacêuticos.

Numa análise ao trimestre terminado em maio de 2022, verifica-se que as exportações e as importações cresceram 23,3% e 35,3%, respetivamente, em relação ao mesmo período de 2021 (+16,5% e +33,8%, pela mesma ordem, no trimestre terminado em abril de 2022).