Início Notícias Vestuário

Fábrica Barcelense faz 100 anos

A Câmara Municipal de Barcelos vai comemorar o centenário da Fábrica Barcelense, atual Barcelcom, com a realização de umas jornadas e de uma exposição documental e de equipamentos, no próximo sábado, na Biblioteca Municipal de Barcelos.

As jornadas, a decorrer a partir das 9h30 do próximo dia 4 dezembro, com entrada livre, contam com a participação de José Manuel Lopes Cordeiro, Coordenador Científico do Museu da Indústria Têxtil da Bacia do Ave, que falará da “Indústria Têxtil dos Vales do Cávado e Ave”.

Por sua vez, Mário Costa, professor e coordenador do livro “O Turismo em Barcelos”, abordará o tema “Um Roteiro da Indústria em Barcelos”.

[©Camara Municipal de Barcelos]
Da parte da tarde, a partir das 14h30, Gaspar Sousa Coutinho, diretor-geral da Barcelcom Têxteis, atual proprietária da Fábrica Barcelense, abordará o tema “A Intemporalidade e a Gestão de uma Empresa Familiar”, seguindo-se Cristina Calheiros, da Universidade Católica, e Aprígio Guimarães, da Universidade Nova de Lisboa, que falarão do “Desafio da Descarbonização nas Cidades e Contributo das Empresas”.

As jornadas encerram com a inauguração de uma exposição documental e de equipamentos alusiva ao centenário da Fábrica Barcelense, no mesmo dia, às 17h.

Esta mostra está patente ao público até 31 de janeiro, na Biblioteca Municipal de Barcelos.

A Fábrica Barcelense foi fundada em 1921 por João Duarte e um grupo de amigos de Barcelos e do Porto. Abriu-se uma nova época na história da indústria, em Barcelos, pois a existente limitava-se à serração de madeiras e à cerâmica.

Iniciou a sua atividade com o fabrico de rendas e passamanarias, mas os problemas que se foram deparando com a dificuldade na importação de acessórios e material de fabrico, obrigaram, em 1931, a lançar-se no fabrico de meias e peúgas, surgindo, em 1935, a secção de tinturaria. Mais tarde, foi dotada com fiação de lã, e, finalmente, em 1960, com a fabricação de malhas e confeções.