Início Arquivo

Fardas com melhor aspecto

As tradicionais fardas começaram a apresentar um novo sentido estético, aliando o design à imagem da empresa, suprindo uma lacuna neste segmento . «Não havia ninguém a fazer fardas por medida, mas sim vendas por catálogo, coisas muito feias e cinzentas sem qualquer tipo de cuidado», adianta Antónia Leite, sócia da Aspecto Fardas, uma das empresas protagonistas desta nova iniciativa.

A estilista, abriu há oito anos um atelier de roupa à medida onde realizava trabalhos para empresas. Com a entrada como sócia da irmã, em 1995, com a oportunidade de fazer fardas decidiram conquistar um lugar de destaque nesta área. Joana Montez e Patrícia de Melo são igualmente sócias de um atelier, resolveram neste ano de 1995 enveredar também pelas fardas com design, envolvendo ainda a criação de vestidos de noite e de noiva.

Actualmente já podem apresentar no seu currículo trabalhos promocionais com a Siemens, com a Heineken nacional e internacional, com a Papelaco, tendo ainda sido responsáveis pela imagem da Playcenter Colombo e da Kodak.

Num terceiro exemplo neste mercado apresentam-se Matilde Salgado, Rita Salgado e Assunção da Cunha com a Vestimagem. Criada em 1998, numa primeira fase vocacionou-se para o fornecimento de fardas para escolas, tendo pensado em «fazer uma entrega personalizada nas escolas, onde apostámos no contacto directo com os pais», declara uma das sócias.

Seguiram-se alguns contactos de empresas que foram enriquecendo uma carteira de clientes, contando actualmente com o Hotel da Quinta da Marinha, o Hotel Albatroz e a Casa Alegre, entre outros. Não obstante a estrutura leve deste tipo de empresas, é essencial um elemento da área do estilismo e inúmeros contactos de costureiras, fornecedores e fabricantes, passando todo o processo pelo contacto com o cliente, por uma proposta criativa seguindo-se a produção das peças finais.

Refira-se que a Aspecto Fardas recorre a contratação exterior dada a necessidade de vários de peça desde o sapato ao chapéu e mala, trabalhando a Vestimagem nos mesmos moldes. Joana Montez relembra que as dificuldades são inevitáveis, sendo o maior desafio «fazer diferentes tipos de peças em pequenas quantidades quando os nossos fabricantes querem sempre grandes quantidades».

A Vestimagem facturou em 1999 cerca de 60 mil contos, o triplo da facturação apresentada em 1998, tendo fixado a Aspecto Fardas o seu volume de facturação nos 200 mil contos em 1999, estando previsto para este ano um investimento de 30 mil contos em ampliação de instalações e equipamento informático. Joana Montez e Patrícia de Melo apresentaram em 1999, 32 mil contos de facturação, prevendo investir perto de 21 mil contos em acções de marketing, como a presença na Exponoivas e a inauguração de uma loja.